sábado, 13 de março de 2010

O amor aos olhos de um nerd

Dizem que a arte imita a vida (ou vice versa). E podemos incluir os games como forma de arte. Por que não? E se considerarmos as inspirações de seus criadores, a referida frase é ainda mais verdade. Cavernas, plantas, cachorros... Tudo que marca a vida deles de alguma form, se torna game. E isso me faz pensar: Teria o cara que inventou o Mario Bros, se inspirado em algum evento de sua vida?

Estou falando daquela famosa frase, que era dito por um personagem (Toad) no final de um dos primeiros jogos da franquia: “Obrigado Mario, mas sua princesa está em outro castelo!”

Teria o criador do jogo, passado por inúmeras aventuras, chefes, desafios, se machucado, feito loucuras, simplesmente para, no final, descobrir que estava correndo a troco de nada? Provável.

Afinal, que atire a primeira pedra aquele que nunca errou de castelo e estava lutando para salvar a princesa errada (e se você é uma moça, atire a primeira pedra aquela que nunca beijou um sapo que acabou não virando princípe...)



É meus queridos, assim que a vida funciona. Não é muito diferente de um game. Para conseguir chegar ao final, você vai precisar de muita determinação, uma dose de sorte e muitos restarts. Pergunte aos seus pais quantas vezes eles erraram de castelo.

Sinto se sou ofensivo quando comparo o amor com games, não sou do tipo que "joga" com as garotas. Mas tomei a liberdade de compara-lo a um jogo, apenas para fins ilustrativos. Você pode até ficar bravo com isso, mas eles tem pontos em comum. Você pode dizer algo do tipo "eu não estou competindo com ninguém!". Mas você tem certeza? Na vida, sempre competimos, e ninguém compete sem ter um objetivo. Objetivo não é muito diferente de premio, algo que vai recompensar seu esforço. O tempo todo você compete e coopera por aquilo que quer. Alias, para nós da educação física, competir e cooperar são coisas tao próximas (apesar de contraditórias) que uma das primeiras coisas que aprendemos é que nunca vai haver uma sem a outra. Você compete com aquele carinha do lado pela garota. E você coopera com você mesmo, com ela e com o destino para criar oportunidades para "vencer" esse "jogo".

E mesmo assim, desde o começo você deve estar ciente que pode não vencer. Que um game over, ou um “desculpe, mas eu não gosto de você”, são coisas da vida. Faz parte.

Realmente não é um jogo fácil. Pode ser frustrante. Você vai querer desistir em muitos momentos. Mas é um jogo muito bom e recompensador, e isso sempre vai te fazer começar de novo e de novo. Nos games, você só não terá como começar de novo se a energia acabar ou o videogame pifar. De resto, mesmo que tenha que começar da primeira fase, você pode faze-lo. Na vida, é quase a mesma coisa: Enquanto você não morrer você sempre pode tentar de novo, mesmo que seja do 0. E como nos games, a pratica leva a perfeição aqui também.


O engraçado é que mesmo saber se você está correndo atras de sua Princesa certa é difícil. Afinal de contas, quantas vezes você nao pensou "é, acho que achei a pessoa certa" e no final nao era nada disso? As vezes aquela menina que vc "ama" e fica correndo atras está destinada a ser uma amiga... Ou simplesmente desaparecer e se tornar uma boa lembrança(ou nem tão boa assim...). Quando não é pra ser, não da. Quem nasce pra lagartixa nao vira jacaré. E por mais que você queira insistir e ir até o final, o amor é um jogo cooperativo, e assim como os antigos jogos de fliperama, se a outra pessoa não estiver afim, você pode usar todas as suas fichas, que não dará certo .

Se não me fiz claro, digo que estou tentando dizer que mesmo que você ache que é, que você queira que seja, as vezes simplesmente não é. Acontece.

Há no entanto sinais para saber se você está no castelo certo. Ficar suspirando pelos cantos parece, mas não é um deles. Não confunda amor com paixão. Traição, por parte sua ou dela, é um sinal de que é a Princesa errada. Quem ama não trai. Afinal, uma pessoa apaixonada deveria ser capaz de resistir a tentações e não cair nessa. Ah, e se depois de toda a aventura ela te da um beijo no nariz... Xii, ela te acha um amigo. E por mais que você diga "nunca vou achar uma garota como ela" , as vezes é mais facil achar uma Princesa nova do que fazer uma que só te da beijos no nariz beijar sua boca. Mario que o diga, está desde os anos 80 tentando... Bem, mas não sou bom com conselhos amorosos, entao voltarei ao outro foco: O nunca desistir.

Escrevi esse texto aos 18 anos, e de lá pra cá ja passaram varias princesas pela minha vida. As vezes tenho a certeza que encontrei a certa muito tempo atrás. Mas como o Mario, tenho a ligeira impressão que só vou ganhar um beijo na ponta do nariz. O destino parece agir como vilão, colocando a princesa no meu caminho. E levando ela embora sempre que eu acho que vou salva-la. A questão é continuar procurando. Não estou aqui defendendo promiscuidade, não me entendam errado. Estou aqui pregando o não se abater depois de um game over. Vai aparecer outra. E outra. E outra... E talvez essa seja aquela. Sim, aquela.


E boa sorte com suas princesas.

2 comentários:

  1. A ruiva seria um exemplo disso? Oo
    Parece bem simples o texto, mas quando aprofunda fica bem complexo. xd

    ResponderExcluir
  2. Se não der certo com a Peach, vamos tentar a Daisy!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails