segunda-feira, 19 de abril de 2010

A Música

 
  Ela é capaz de alterar o estado de humor de qualquer um. Capaz de acalmar, capaz de despertar a fúria, capaz de empolgar, capaz de emocionar, capaz de tudo. Pode criar momentos inesquecíveis. Pode fazer falta em momentos inesquecíveis, ou tocar nesses momentos mesmo sem estar de fato tocando, apenas no imaginário de quem os vive. Não importa. Ela está lá, as vezes roubando a cena, as vezes completando a cena. Ela faz parte da vida de cada um, tão particular, tão difundida, tão popular.

  A Música. De tantos estilos, de tantos acordes, de tantas diferenças, mas tão igual, tão perfeita, tão imperfeita, tão necessária. Tão viva.

  De tantas cores. Não que tenha cores. Não que tenha aparência (e aproveitando o momento para usar a vuvuzela: maldito seja quem criou os videoclipes. Músicas não precisam de imagens), mas não precisamos ver suas cores. Podemos ouvi-las. Ouvir cores? Música te permite ouvir muito mais que cores. Permite ouvir emoções.
  Qual seu gênero favorito?




  Para cada personalidade, um estilo. Para cada momento, uma Música. Para cada vida, uma trilha sonora. Se sua vida fosse um filme, quais músicas você escolheria para cada momento? Sim, já pensou se você fosse lançar a “Trilha Sonora Original” da sua vida, quais seriam as 20 músicas que estariam no CD? 

  A Música está ai para fazer as pessoas felizes, independente de credo, cor, idade, nacionalidade, sexualidade. Todos os seres humanos gostam dela, até aqueles que nem foram tecnicamente humanos. Como assim? Alguns estudiosos afirmam que há evidencia que os Homens de Neanderthal (que não eram nossos antepassados) já conheciam a música, dançavam e cantavam!


  Mas nada define a música melhor do que este velho conto japonês (ou seria chinês?)

  Aquele rei gostava muito de tocar flauta. Uma noite, ele saiu para tocar no quintal do castelo, ao passo que em pouco tempo aproximou-se um homem com outra flauta, e pediu para acompanha-lo. Ambos tocaram a noite toda, até o amanhecer. Quando o sol raiou, o homem então apresentou-se. Ele era o próprio Diabo, que estava ali para levar maus agouros a todo o reino. No entanto, depois de tanto se divertirem com a Música, ele havia desistido. Despediu-se, e então desapareceu diante dos olhos do rei.

Moral da historia: Todas as almas se acalmam diante de uma boa música. Até a do Tinhoso.

  Qual a Música da sua vida?

2 comentários:

  1. aii q coisa boa, gostei muito dessa postagem sobre musica
    realmente a musica está em tudo, fazemos musica sem perceber, nossa alma precisa de musica =D
    e eu amoo pagode, tem o mesmo ritmo da batucada do meu S2.. rs'
    Paloma

    ResponderExcluir
  2. Ah, a música...

    A música é sempre importante nas nossas vidas, seja ela qual for...

    A música é formada por Letra e Melodia. Assim como nós, que somos formados pela Razão e a Emoção.

    A Letra é a nossa Razão, aquilo que queremos e conseguimos dizer através de palavras, sejam escritas, faladas ou cantadas...

    A Melodia é nossa emoção, aquilo que precisamos expressar de qualquer forma e não sabemos exatamente como...

    Músicas realmente boas são sobre sentimentos verdadeiros, feitas para/pelo amor, passando de gerações para gerações, músicas imortais...

    Cada momento de nossas vidas é marcado por uma música: pode ser de um grupo, um cantor, um pássaro ou até mesmo uma voz.

    Que nossas vidas sejam como músicas!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails