segunda-feira, 26 de abril de 2010

São proibidos os galináceos


Eles são os crucificados. São os ofendidos. São os inocentes.São os injustiçados. São os incompreendidos. São os culpados. São os goleiros.

  Pouca gente sabe, mas hoje, dia 26 de Abril, é o dia do goleiro! E menos gente ainda sabe, mas este blogueiro foi, durante grande parte da sua vida, um representante digno daqueles heróis injustiçados, referidos como mãos de manteiga, mãos de alface, caçador de borboletas, frangueiro.
  Do único cara do mundo que é pago para estragar a festa dos outros, e que no final pode estragar é a festa dos seus. Do cara que tem como função não errar depois que todo mundo já errou. Do cidadão que tem a obrigação de fazer o possível, e, se possível, o impossível também.


  Todos torcem pelo seu erro. Todos lembram apenas do seu erro. Você pode fazer 100 defesas impossíveis, que o replay só mostrará aquela que você errou. Errar é o que seus adversários esperam de você. Você, caro leitor comemora o erro do goleiro dos times dos outros. É natural. Goleiros estão lá para não errarem, mas todos querem que eles errem.
  Como o blog sabe bem qual a sensação de ser lembrado pelos seus erros, a homenagem será feita as avessas: A seguir, 3 grandes goleiros que erraram na pior hora possível.


 3- Rogério Ceni
  O goleiro fazedor de gols estava vivendo sua melhor fase com o São Paulo, depois dos títulos da Libertadores e Mundial em 2005. Jogava a final da Libertadores de 2006 contra o Internacional no Beira Rio. Tudo andava bem (na medida do possível...), até que Rogério Ceni saiu para fazer uma defesa fácil, interceptando um cruzamento. A vacilada ocorreu segundos depois da defesa: Rogério tentou “quicar” a bola no chão, algo que não causaria nenhum problema... Se Fernandão não estivesse lá, do lado do goleiro.
 O atacante aproveitou a cochilada do arqueiro tricolor e mandou pra rede, complicando ainda mais a vida do São Paulo, que ficou com o vice-campeonato.

2- Marcos
 Em 1999, Marcos passava uma fase mágica, que lhe rendeu o apelido de São Marcos. O goleiro havia se tornado um dos principais responsáveis (se não o principal) pela inédita conquista da Libertadores, tornando-o um dos grandes ídolos do timaço do Palmeiras.
  O Palmeiras decidiria então, com o Manchester United, o titulo de Campeão Mundial no Japão. Oportunidade perfeita para Marcos, o milagreiro, se canonizar de vez.
  Não foi o que aconteceu, no entanto.
Num jogo onde o Palmeiras mostrou-se superior durante praticamente os 90 minutos, a equipe foi castigada por uma falha do goleiro, que errou o tempo de bola e “caçou borboleta” num cruzamento, resultando no gol da Vitória do time inglês.


1-  Oliver Kahn

  Em 2002, o alemão só não fez chover na Copa disputada no Japão / Koréia. Eleito (com méritos, apesar de Rivaldo também ter feito uma grande Copa) o melhor jogador da competição, Kahn conseguiu junto a Klose, praticamente sozinhos, levar o limitado time da Alemanha a final da Copa do Mundo.

  A final, contra o Brasil, no entanto, não trás boas lembranças para Kahn. O goleiro com cara de bad boy falhou nos dois gols que decretaram a derrota de sua equipe, mandando por água abaixo a chance de imortalizar-se.

  No primeiro (e pior), o arqueiro soltou uma bola fácil, chutada por Rivaldo no meio do gol. A bola voltou nos pés do endiabrado Ronaldo, e com esse não teve perdão.
  O segundo, mais aceitável, nasceu de um outro chute do camisa 9, esse de fora da área, em que Kahn, muito mal posicionado, pulou de uma maneira esquisita e não conseguiu alcançar a bola. Brasil 2 x 0 Alemanha. E Kahn teve que se contentar em ser um ótimo perdedor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails