sábado, 25 de dezembro de 2010

O temido Ban da Xbox Live

  Foi-se o tempo onde jogar videogame era algo simples e, de certa forma, garantido. Bastava ligar o seu videogame e jogar, feliz da vida. A única frustração que você poderia ter baseava-se na sua habilidade: Vencer, ou não, o jogo. Os jogos foram ficando mais e mais modernos, e muita coisa foi mudando. Com o tempo, por exemplo, passou a ser praticamente obrigatório que os videogames tivessem acesso a internet para permitir jogos entre muitas pessoas, de diversas partes do mundo, ao mesmo tempo.

Junto com toda essa evolução e popularização, surgiu um problema para as produtoras de games: Pirataria. E com o tempo, as medidas que elas foram tomando para conter os piratas também foram ficando mais e mais sofisticadas.
E entre as quais, a mais radical de todas, pelo menos até agora, foi a medida escolhida pela Microsoft. O pesadelo de quase todos os jogadores de Xbox, e um dos maiores temores da sociedade moderna. O famoso Ban da rede online Xbox Live. Com a chegada oficial dos serviços da Live ao Brasil, é a hora perfeita para falarmos um pouco sobre esse assunto.


Xbox o que?

Xbox Live é o serviço de internet do Xbox, que posteriormente foi melhorado para suprir o aparelho mais novo, o Xbox 360. É uma rede onde você pode ver vídeos exclusivos, baixar versões de teste dos jogos, comprar jogos completos, acessar o Windows Live Messenger enquanto joga, mostrar os jogos que você tem e os seus feitos neles para seus amigos, enviar suas pontuações para rankings, etc. E, o principal, jogar online com pessoas do mundo inteiro. Claro, como tudo da Microsoft, o que você pode ou não fazer depende do quanto você pode pagar: Enquanto o acesso a maioria das coisas é gratuito, jogar online requer que a pessoa pague uma assinatura (embora haja um período grátis no começo).
O grande problema, aliás, é esse período para a pessoa conhecer a Xbox Live. Acredite: É praticamente impossível jogar uma partida de Super Street Fighter IV, Grid, Halo 3 ou Gears of War (alguns dos principais jogos do console para se jogar online) e não ficar, quase que imediatamente, viciado. Por isso, geralmente, o período de testes é insuficiente para satisfazer as vontades do jogador, e quase todo mundo que cai na tentação de testar a Xbox Live acaba pagando pelo pacote completo assim que for preciso...

Ótimo, mas e esse tal de Ban?

É uma medida que a Microsoft tomou para controlar a pirataria no seu console. Ou mais ou menos isso. Basicamente, ela bane os consoles destravados da rede online, travando toda e qualquer função que o console possa ter na Live. Aliás, nem acessar a Live a pessoa consegue, a partir do momento em que foi banido.

Os Bans costumam vir em “ondas”. Ou seja, a Microsoft passa algum tempo estudando os novos destravamentos disponíveis para o seu console, passando para os usuários espertinhos a sensação de que conseguiram engana-la. No entanto, quando eles menos esperam, são banidos, junto com outras milhares de pessoas, após instalarem uma atualização obrigatória, ou algo do tipo.

Depois de ser banido, o console se torna um console normal, funcionando perfeitamente, mas sem acesso a Live. Ainda é possível conectá-lo a rede interna da sua casa e ver os filmes que você tem no HD do seu PC usando o Xbox, por exemplo, e até se conectar em redes alternativas para jogatina online (como a Leaf). Mas nada que se compare a experiência de jogar na Xbox Live...

Os Hackers, por sua vez, começam a trabalhar em um novo destravamento, tão logo termina a onda de Bans, além de outras proteções, como formas de “patchear” os jogos, ou seja, alterá-los de forma a deixá-los invisíveis as barreiras impostas pela Microsoft. Em algum tempo eles, via de regra, conseguem burlar a nova proteção da Live e aplicá-la nos consoles que desejarem (isso serve apenas para os videogames que ainda não foram banidos). Depois de alguns meses, a Microsoft contra-ataca. E continuam esse jogo de gato e rato desde que os Bans começaram, sem dar sinais de que uma das partes irá desistir...

Como a Microsoft faz isso? Existe alguma forma de “Desbanir”?

São perguntas muito frequentes entre os usuários de jogos piratas do Xbox 360. A primeira questão, que diz respeito a como exatamente a Microsoft descobre que o seu console foi destravado, é uma incógnita. Muita gente afirma, com a voz confiante da razão, que é dessa ou daquela forma, mas a verdade é que ninguém sabe, as pessoas apenas supõem.

Entre os mais famosos, há os boatos de que seja através de informações que o seu videogame manda para eles, como um log. Há quem diga que eles analisam a própria firmware do seu console, ou seja, eles procuram por modificações no próprio sistema operacional do seu Xbox. E por fim, há quem diga que é o número de série dos jogos que te entrega: Se muitas pessoas de lugares diferentes usarem jogos com o mesmo serial, é por que todos estão jogando cópias de um mesmo disco, ou seja, jogos piratas. Bem, o dia que alguém realmente descobrir, os Hackers provavelmente vencerão a guerra...

Quanto a ser desbanido, isso gera ainda mais lendas. Surgiram boatos de que os hackers estavam trabalhando nisso, mas até hoje, nenhum resultado concreto foi feito. A Microsoft guarda em seus sistemas o número de série do aparelho em si quando este é banido, de forma a garantir que ele jamais volte a se conectar, independente das alterações que sejam feitas, e isso inclui tirar o destravamento e deixa-lo rodando apenas jogos originais novamente.

Algumas lojas no entanto realmente desbanem o Xbox 360, mas muito cuidado: Tudo que eles fazem é substituir a placa do console banido pela de outro console qualquer, que não tenha sido banido. Normalmente, eles trocam as peças do seu Xbox novinho pelas peças de videogames que pifaram, em geral os que tiveram as famosas 3RL (um defeito que era comum nos Xbox 360 até 2008, mas que hoje em dia está praticamente “erradicado” nos novos aparelhos). Ou seja, peças usadas e com tendência a darem problema. Nada mais, nada menos, do que um golpe.
 Existe também um chip chamado "Infectus", que promete desbanir o Xbox 360 em que é instalado. No entanto, seu preço elevado e outros problemas jamais permitiram que ele se popularizasse. Se funciona mesmo? É uma incognita...

Muita gente chega a questionar a prática adotada pela Microsoft de banir as pessoas de um serviço pelo qual elas pagaram, e até a pensar em entrar com algum processo, seja no Procon ou onde for, porém, a reclamação é infudada. Primeiro, porque o primeiro crime, no caso, foi seu: Pirataria é crime, e se você estava jogando games piratas, estava errado por princípio. Por mais que você queira espernear quanto a preços, impostos e tudo o mais: Ninguém te obrigou a comprar o console. A seguir, ainda entra o fato de que nos termos de uso da Xbox Live estava bem claro o que aconteceria com quem tentasse bancar o espertinho e jogar online com o console modificado dessa forma. E ao aceitar os termos, você concordou com isso.

Mas não fique triste, acontece nas melhores famílias. E você, que destravou seu videogame, ainda nao foi banido e acha que é esperto, que tudo é questão de tomar cuidado e a Microsoft jamais irá te pegar, saiba que, assim como a morte, é apenas uma questão de tempo para que o inevitável aconteça. Sua hora vai chegar. Adolph Hitler que o diga:   

2 comentários:

  1. Com certeza o medo de qualquer user pirata da Live é o BAN, a Microsoft consegue pegar o cara seja de qualquer forma...

    Rii de mais com o video do Hitler Banido =P

    ResponderExcluir
  2. Os dias de pirateiro estão cada vez mais contados a cada geração.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails