sábado, 12 de março de 2011

Por que as pessoas sentem ciumes?


  Responda rápido: Você é ciumento? Os ciumes já atrapalharam a sua vida em algum momento? Você já sentiu ciumes sem ter a menor razão para isso?

Se suas respostas foram positivas, não se preocupe: Uma bela fatia da população é exatamente assim. Ciume é um sentimento natural, que todas as pessoas tem. Algumas controlam mais, outras, controlam menos. Algumas simplesmente não controlam, e ai o ciume vira uma patologia, que precisa ser tratada.

Sentimentos, por mais que o ser humano tenha lhes dado um caráter um tanto quanto mágico, romântico, como algo que vem da alma e não tem muita relação com o corpo, também são, tanto quanto a fome e o sono, reações do nosso corpo a certas situações. Os poetas terão que me perdoar, mas tenho que dizer que sentimentos são, em sua essência, meros instintos. E, como os demais, também estiveram sujeitos a serem eliminados ao longo da evolução da nossa espécie, caso viesse a se tornar uma desvantagem muito grande.

Por vários motivos, um grupo de sentimentos se manteve conosco até hoje. E foi baseado neles que a nossa sociedade cresceu e prosperou. Foi baseado nesses sentimentos que nossas noções de ética e moral foram formadas. Amor. Ódio. Medo. Coragem. Inveja. Alegria. Raiva. E ciumes. Mas espere, qual a utilidade dos ciumes? Se, na maioria das vezes, tudo o que uma pessoa ciumenta consegue é se sentir mal e até causar brigas (geralmente com a pessoa que é motivo dos ciumes), qual o sentido desse sentimento ter se mantido? Não seria mais produtivo ficarmos apenas com raiva quando descobríssemos, por exemplo, que fomos trocados, do que ficarmos nos remoendo de ciumes enquanto ainda estamos imaginando, o que pode levar meses e nem mesmo ser real?



Uma palavra: Proteção

Ciume não é algo exclusivo dos seres humanos. Possivelmente você já ouviu falar de algum cachorro que tem ciume do dono. Isso por que o ciume é um sentimento que tem a tendência (e, por que não, a necessidade) de surgir em grupos sociais. Sendo assim, animais que vivem em grupos, tem mais chances de desenvolver comportamentos ciumentos do que os que são naturalmente solitários.

Humanos sempre viveram em grupos. Desde pequenos grupinhos nômades até cidades com milhões de pessoas, o fato de ter que lidar com questões sociais todos os dias é uma constante na nossa existência. E foi ai que sentimentos que beneficiavam esse convívio foram surgindo. Começamos a amar as pessoas próximas, assim, as trataríamos bem, e isso ajudaria no convívio diário. Além disso, as protegeríamos. Passamos a pegar raiva das pessoas que não nos tratam como queremos, assim, ficavamos mais alertas com as atitudes delas, e até tomávamos atitudes para revidar, e isso também era importante.

E então, o ciume. Espere um minuto...  O ciume parece um sentimento capaz de causar conflitos, muitas vezes inúteis, e sofrimento, por vezes desncessário. Por que ele se manteve, então?

Pelo mesmo motivo que o medo se mantém. Proteção. Sentimos ciumes para proteger as nossas relações sociais. Para não perdermos as pessoas que nós gostamos assim, de bobeira.

O ciume serve como um alerta. Afinal, se nós apenas ficássemos bravos quando, por exemplo, fôssemos traídos, já seria tarde demais: Já teríamos perdido. Tanto faz essa raiva quando o leite já está derramado. Para tentar evitar isso, surge o ciume: Nos sentimos mal só de imaginar essa possibilidade. Com isso redobramos a atenção. E, com frequência, evitamos esse tipo de situações. Com esse comportamento, podemos evitar a perca da mãe dos nossos filhos (ou do pai, se você for uma mulher), aquela pessoa que deu tanto trabalho para conquistar. Ou pior: Perder os nossos filhos, que carregam os nossos gênes, para alguém que não sabemos se irá cuidar bem deles.

Por isso que o ciume não é um sentimento que manifestamos exclusivamente em situações de interesse sexual ou dos nossos filhos. Podemos ter ciumes de objetos. De artistas ou ídolos. De pessoas que não conhecemos. Podemos até ter ciumes de músicas ou programas de TV (quem nunca viu uma pessoa que parou de gostar de uma banda ou seriado pelo simples fato dele ter caído no gosto do grande público?). De amigos. Dos nossos pais (o famoso exemplo do filho que não quer que os pais divorciados formem uma nova família cabe bem aqui). De todo o tipo de coisas... Que queremos proteger.

O ciume ajudou a moldar a sociedade de hoje. O ciume fez muita gente importante tomar decisões mais importantes ainda. Contribuiu decisivamente para a visão que as pessoas tem, hoje em dia, de coisas como “amor” e “fidelidade”. Ele é visto, na maioria das vezes, como um vilão. Mas se a humanidade chegou onde chegou, deve muito disso a ser uma sociedade ciumenta. Então, que seja: Vida longa aos ciumes!

Um comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails