sexta-feira, 29 de abril de 2011

Dragão-de-Komodo

Existem certos caras que a gente simplesmente não gosta de encontrar, e situações que tornam esses encontros potencialmente desesperadores. Por exemplo, quando você está sozinho com sua camisa do Corinthians ou do São Paulo no metrô, e por acaso dá de cara com alguns torcedores da Mancha Verde, organizada do Palmeiras. Ou quando você está com sono, conseguiu um lugar para sentar naquela condução lotada do horário de pico e por acaso entra alguém ouvindo música no celular sem fones de ouvido. Ou quando você matou aula e por acaso encontra a sua mãe num dia de folga.

Ou ainda quando você está sozinho na floresta, cansado e com fome, e não tão por acaso assim dá de cara com um lagarto enorme, faminto e com um arsenal de armas biológicas que faz de você tão indefeso quanto a bolachas recheadas que estou comendo enquanto digito este texto.

Um animal terrível, cujo a aparência lembra a de um dragão. Um animal real. Um dragão real. Falo de um dos mais assustadores predadores da face da Terra: O Dragão-de-Komodo.




Não escovar os dentes pode matar....

O Dragão-de-Komodo não tem esse nome por um mero acaso. Ele é um lagarto grande, muito grande. Chega a medir 3 metros de comprimento e pesar até 120kg. Seu nome deriva do lugar onde vive, a ilha de Komodo na Indonésia. Por lá, ele é chamado de “Crocodilo da Terra”, e é o rei da cadeia alimentar: A única coisa mais temida que um Dragão-de-Komodo naquelas florestas tropicais é outro Dragão maior...

E isso se aplica até a eles mesmos. Sim, trata-se de uma espécie canibal. Aliás, canibal, caçadora, carniceira, qualquer coisa, menos vegetariana, se é que você me entende. Extremamente eficiente na arte de matar, tem uma estratégia um tanto quanto peculiar: Ele não mata a presa durante o ataque. A estratégia consiste em morder a vítima e esperar que ela morra. De hemorragia? Não. Envenenada? Também não. Pelo menos não com veneno propriamente dito: A boca de um Dragão-de-Komodo abriga tantas bactérias que basta uma mordida para que o destino da vítima esteja selado... Ela morrerá em pouco tempo por conta da infecção! Com isso, basta que o Dragão faça um ataque furtivo (ou não), morda rapidamente e saia de perto. Depois é só esperar (e as vezes eles chegam a esperar, pacientemente, por uma semana) e se deliciar...

O efeito das bactérias contidas na boca desses animais é tão poderoso, aliás, que se um Dragão-de-Komodo morder a si próprio, ele fatalmente morrerá. O lado bom é que por mais que esses animais realmente comam seres humanos se julgarem necessário, esse não é o prato favorito deles, que preferem búfalos ou javalis. Por conta disso, geralmente seu convívio com humanos, se não é exatamente amigável, é quase tolerável. Mas isso não impede que, apesar disso acontecer raramente, vez ou outra algum turista ou criança nativa acabem virando o almoço desses lagartões, até porque, embora a medicina tenha evoluído nesse sentido a ponto de conseguir salvar algumas pessoas, uma mordida desse animal ainda é morte certa na maioria dos casos.

Curiosamente, com o maior número de turistas visitando as ilhas para ver esses animais, e dando generosos pedaços de carne para eles, os Dragões vem se tornando cada vez mais dóceis com os seres humanos.

A síntese da morte

Mas não é apenas o bafo que faz desses animais predadores terríveis. Eles são perfeitamente equipados com uma aparelhagem biológica de fazer inveja a muito veículo blindado do exército...

Tal como as cobras, a língua do Dragão-de-Komodo é por onde ele sente os cheiros. E o negócio funciona muito bem: Que tal sentir o cheiro da comida a mais de 7 km de distancia? Nada mal não é? Tudo bem que isso costuma gerar alguns problemas, como o fato de muitos Dragões chegarem na mesma hora para filar a mesma bóia. Nesses casos, eles decidem de forma “organizada” quem come primeiro: Não por ordem de chegada, e sim, por ordem de tamanho e força...

Sua audição no entanto não é das melhores,e sua visão, acredita-se, só é realmente eficiente de dia, quando consegue inclusive ver cores. Como seus sentidos evoluíram para facilitar a tarefa de caçar, sua precisão visual é maior quando se trata de objetos em movimento do que parados.

Conte ainda com uma cauda longa que pode ser usada como chicote (e, pode apostar, as pancadas são realmente fortes) e garras longas e pontudas. Aliás, essas garras tem uma função paralela de deixar qualquer um de cabelo em pé: Quando foi a última vez que você viu um lagarto correr? E quando eu digo correr, não me refiro a andar apressadamente, e sim correr de verdade, a ponto de precisar de garras adaptadas para ajudar com as forças de tração... Pois é, esses correm. E correm incrivelmente rápido. Rápido o bastante para deixar até mesmo o supercampeão das provas de velocidade, o jamaicano Usain Bolt em apuros...

E não termina aí...

Como se não bastasse, descobriu-se recentemente que essa espécie pode realizara chamada partenogênese, isso é, algumas fêmeas podem ter filhotes sem a necessidade de um macho para a fecundação...

Isso permite que, se por acaso uma fêmea for parar, sozinha, numa ilha onde não há outros dragões, ela dê inicio a uma nova população por lá.

Embora esses animais fascinantes fossem conhecidos pelos locais desde tempos imemoriáveis,apenas em1910 foram documentados e apresentados ao mundo ocidental. Desde então, graças a sua ferocidade e sua aparência assustadoras, tem se tornado uma grande atração em zoológicos do mundo inteiro.

É no entanto um animal que pode deixar de existir se não forem tomados certos cuidados. Seu habitat (algumas ilhas da Indonésia) é muito restrito naturalmente, não tendo espaço físico para permitir uma grande população do animal. Com a caça, desmatamento e outras atividades ilegais realizadas por seres humanos, além de causas naturais como terremotos e atividades vulcânicas, a população de Dragões-de-Komodo vem diminuindo na natureza, estando emcerca de 5 mil indivíduos atualmente.

Uma pena. Animais fascinantes e únicos que os nossos netos podem não chegar a conhecer.

5 comentários:

  1. Nossa, muito bom esse texto... esses animais sao incriveis mesmo !

    ResponderExcluir
  2. O texto ficou realmente show de bola... não tinha como não ler até o final! Parabens ao pessoal...!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, não sabia que ele era tão predador assim, achava que era vegetariano e lento.. Muito util ler isso.

    ResponderExcluir
  4. Uma vez tive um sonho de ter um dragão-de-komodo de estimação,mas acho que vou mudar de ideia!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o texto, parabéns! haha ainda terei um dragaozinho de estimação muito lindo *-* ;)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails