quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Dia da Independência


Somos independentes, embora ainda dependentes do que pensam e pensarão de nós, lá fora.
Somos independentes, e ainda assim, complexados, como vira latas jogados nas ruas.
Somos independentes e não conseguimos cuidar de nós mesmos, morremos de fome, de frio, de raiva.
Somos independentes e dependemos só da nossa sorte, para sair de casa e voltar, de preferência vivos.
Somos independentes, e amamos nosso país, a cada 4 anos, dependentes, claro, do resultado em um campo de futebol.

Somos independentes e dependemos do que é de fora, porque o que nós fabricamos e criamos, mesmo quando melhor, é pior.
Somos independentes, dependendo de quem é você. Como se chama? De onde vem? Dependendo da resposta, sua independência é maior, do que a daquele outro, sem nome, sem passado, sem futuro.
Somos independentes, e tanta gente depende de favore esmolas. Porque não aprendeu a ser livre, ou não teve oportunidades para tal.
Somos independentes e dependemos de uma falsa imagem. Pensam que somos o que não somos. Pensamos que somos o que não somos. E quem somos?
Somos independentes, e dependemos sempre dos mesmos nomes. Estes, por sua vez, dependem de cestas básicas,  esmolas que compram a confiança de gente que depende de migalhas.
Somos independentes e criativos, somos geniais. Mas não temos estrutura e não queremos gênios.
Preferimos não instruir demais as pessoas, é bobagem. Pessoas dependentes, são mais fáceis de lidar.
Somos independentes e temos uma rica cultura. Pena que muitos de nós prefiram a que vem de fora. A vulgaridade e besteirol norte americanos ou asiáticos, devem mesmo ser mais cultos. Será?

Somos independentes. Merecemos? Sabemos? Queremos? Somos? Não sei. Mas somos. Parabéns, Brasil, por mais um aniversário de sua indepedência, ainda que a cada dia mais dependentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails