quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Postagem sem titulo


Eu não esqueci de nada, nem digitei nada errado. Esse texto não tem título. Não tem nome. Não tem categoria. Não posso descrever com poucas palavras o objetivo desse texto, e jamais ficará bom da maneira que eu quero. Então, sabendo do fracasso em expressar em palavras o que preciso, apenas deixarei que elas avancem e se coloquem, da forma que melhor decidirem, afim de tentar mostrar a você o que eu quero dizer.

 Texto sem título, derivado de um sentimento inominável. Palavras que vem do coração são assim: Elas tomam voz, encontram sua vez e assumem o controle dos seus pensamentos sem prévio aviso, sem categoria, sem motivo. Ou quem sabe tenham motivo? A lua mais linda, a estrela mais brilhante. Belezas puras, tão vistas, tão ignoradas, que fazem lembrar daquele sorriso, tão perfeito, tão puro, tão seu, tão único.

Mais uma noite, sozinho, com as paredes do meu quarto como testemunhas, frias e mudas, autoritárias e protetoras, daquilo que sinto, das lágrimas que eventualmente rolam e do olhar perdido, em pensamentos, que todas as noites, desde que te vi pela primeira vez, levam sempre ao mesmo lugar, perto de você, onde eu sempre sonhei estar, onde jamais fiquei, realmente.

Eu sempre estive aqui. Você  nunca viu. Você viu muitos outros, a maioria, apareceu e se foi, assim, muito mais rápido do que qualquer uma das noites cujo sono perdi suspirando por você. Te iludiram muito mais do que os sonhos, lindos, que tenho todas as noites, em que você, e não eu, é a protagonista. Sim, você é a estrela, dos meus sonhos, do meu céu, da minha vida e da minha alma.

Pode até ser que seja cafona, pode até ser que escrever textos assim esteja fora de moda. Pode ser que ficaria mais bonito se fosse um poema. Pode ser tudo. Qual diferença faria? Todos esses anos, senti que não, eu jamais faria diferença alguma na sua vida. Mas você faz na minha. Em cada manhã, em cada raio de sol, em cada pensamento positivo, em cada desafio vencido, é em você que eu penso, é por você que eu levanto a cabeça e vou em frente.

Tudo o que eu queria era poder me concentrar pra escrever, palavras bonitas, pra você. Mas pensar em você, e se concentrar, não podem estar na mesma frase. Minha mente se vai, se perde, esquece tudo, esquece até de transformar-se em palavras. Procura e não encontra uma maneira  de se expressar.

Queria que você pudesse sentir uma mera fração do amor que sinto por você. Seria o bastante para você acreditar em todas as minhas palavras, em todos os meus suspiros, em todos os meus olhares. Não que olhares apaixonados sejam capazes de mentir. Mas você jamais olhou nos meus olhos. Não sei se algum dia vai olhar. Não sei se algum dia vai me olhar. Mas eu espero, o tempo que for preciso. Esperei a vida toda pra te encontrar. Desde então, espero ter uma oportunidade de te mostrar o que sinto. E vou esperar o tempo que for preciso para que você entenda. Porque eu te amo. Simples assim. Não precisava ter escrito tudo isso, para dizer uma frase tão curta, não acha? Pois eu acho que preciso dizer muito mais do que está no texto. E quero, um dia, dizer tudo, olhando nos seus olhos. Você permite? 

2 comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails