segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

20 Curiosidades sobre o Dreamcast

  Pessoalmente meu videogame favorito de todos os tempos, um verdadeiro ET pras crianças de hoje em dia, cercado em mistérios e mitos, o Dreamcast é figurinha carimbada nas páginas desse blog. Entretanto, percebi que nunca escrevi um texto efetivamente sobre ele, algo exclusivo mesmo sabe?

 Missão dada, missão cumprida: Nas próximas linhas você lerá 20 fatos sobre o derradeiro console da Sega:

  #1 O Dreamcast foi o primeiro videogame baseado em Windows. A Sega estava disposta a jamais repetir o erro do Saturn, que era um videogame difícil de programar, e procurou então usar a linguagem mais universal possível no seu console. Procurou a Microsoft que o tornou compatível com uma versão do seu Windows CE, que era um Windows móvel do final dos anos 90 (O Windows Phone da época, #sqn ). A versão Dreamcast do Windows CE no entanto era modificada de forma a também ser completamente compatível com a grande novidade do Windows "de verdade" dos computadores da época: O DirectX. A ideia deu tão certo que a Microsoft acabou usando praticamente o mesmo Windows CE "tuning" no primeiro Xbox.

  #2 Apesar disso tudo, a Sega ainda se certificou de que o Dreamcast tivesse sua própria linguagem de programação, que também era ótima. Na verdade, era tão boa, que tirando ports diretos de jogos de PC, praticamente todos os jogos de Dreamcast foram escritos na linguagem proprietária da Sega ao invés do Windows.


  #3 E no final das contas, diz a lenda que o SO do Dreamcast não estava exatamente incluso no aparelho. Ele vinha dentro do disco do jogo.

  #4 É triste, mas quando o Dreamcast foi lançado, a Sega já sabia do seu destino de morte precoce. Na verdade, muitos dentro da própria Sega defenderam que ele jamais fosse lançado. A Sega no entanto avaliou que precisava limpar sua decadente reputação com os jogadores se quisesse sobreviver a longo prazo, e ai nasceu o Dreamcast. Essa consciência do que estava por vir gerou como seu fruto mais doce o inusitado Segagaga - O "Simulador de Sega" 

  #5 O Dreamcast não foi o primeiro videogame capaz de acessar a internet, mas foi o primeiro a vir totalmente equipado para isso como padrão. Entretanto, é engraçado notar que a SegaNet (o serviço para jogos online do console) demorou a funcionar, chegando apenas no último ano de vida do aparelho. Era possível navegar na internet usando o Dreamcast desde o lançamento, no entanto.

  #6 O Dreamcast foi o primeiro videogame a ter um suporte realmente funcional de cabos VGA. Aliás, os jogos compatíveis ficam belíssimos.

 #7 Qualquer um pode notar que o logotipo do Dreamcast era diferente na Europa e no Brasil em relação ao dos Estados Unidos: O nosso e o dos europeus era azul. Entretanto, poucos notaram que o Dreamcast japonês e o americano também eram diferentes entre si: Eles eram laranja e vermelho, respectivamente.
Japonês, europeu e americano, pela ordem

 #8 Desde que foi descontinuado em 2001, o console recebeu ao menos um novo jogo por ano. Há cerca de 100 jogos de Dreamcast lançados entre 2002 e 2014 e contando. É bastante irônico, mas isso faz dele o console da 6° geração mais longevo entre todos, incluindo o Playstation 2: É o único da sua geração com uma agenda de lançamentos ativa no momento em que esse texto está sendo escrito.

  #9 Shenmue e sua sequência Shenmue 2 custaram US$ 70 milhões de dólares aos cofres da Sega, tornando-o então o game mais caro da história. Os valores são absurdos até hoje, na verdade, e são ainda mais impressionantes considerando a situação da Sega na época. Na verdade, pare ter lucro com esse projeto, a Sega teria que ter vendido pelo menos 2 cópias de cada um dos dois games para cada dono de Dreamcast no mundo. Explicado por que nunca tivemos o terceiro jogo?

  #10 A Sega sempre foi afeita às propagandas ácidas. Não foi diferente com o Dreamcast. Quando o Playstation 2 foi lançado, o aparelho da Sony sofreu enormes problemas de distribuição nos EUA, sumindo das lojas e sendo revendidos a preços exorbitantes. A Sega não perdeu a chance, como você pode ver nessa imagem:
"Nossas profundas condolências à Sony por suas dificuldades de distribuição do PS2" 

 #11 Muita gente sabe que a vara de pescar do Dreamcast pode ser usada pra jogar Soul Calibur. Entretanto, você já tentou usa-la pra jogar Crazy Taxi? Funciona também. 

 #12 Entre os acessórios legais nunca lançados para o Dreamcast estão um Zip Drive, uma expansão para rodar DVD e o lendário VMU-Mp3 Player


 #13 Muitos jogos estavam previstos para Dreamcast e foram cancelados, como por exemplo Soul Calibur 2 e GTA III. Outros games foram cancelados quando já estavam basicamente prontos. Os piratas deram seus pulos e conseguiram fazer com que o (ótimo) port de Half Life visse a luz do dia. E só recentemente, mais de 10 anos depois do jogo ser cancelado, finalmente vazou a versão Dreamcast de TomJam & Earl 3.

 #14 A EA jamais deu seu suporte ao Dreamcast pelo seguinte motivo: Eles queriam exclusividade em jogos esportivos no console. A Sega, que já tinha seus próprios jogos de esporte sendo produzidos, não concordou. É difícil dizer se foi uma decisão acertada ou não, mas é fato que os jogos de esporte da Sega pareciam superiores aos da EA na ocasião, em sua maioria.

 #15 Outra propaganda célebre do Dreamcast, dizia que o videogame era poderoso demais para ser tratado como uma máquina. A primeira imagem dessa postagem mostra a data de lançamento do Dreamcast (9 de setembro de 1999, ou 9.9.99) e os dizeres: "Você sabe que está vivo. Pior. Ele sabe que está vivo". A frase mais famosa dessa campanha era o bordão: "It's Thinking!" ("Está Pensando!")

  #16 O nome "Dreamcast" ("O Elenco dos Sonhos" numa tradução literal) fazia referência ao fato de que a Sega reuniu a melhor equipe que encontrou para fornecer a tecnologia que envolvia o aparelho. Além do já citado Windows CE da Microsoft, o aparelho ainda contava com um processador gráfico PowerVR2 da NEC, a CPU SH4 da Hitachi além dos processadores de som e leitores de GD-Rom (a mídia do aparelho) da Yamaha, todas empresas líderes em seus segmentos no final dos anos 90.

 #17 "DVD ou Não-DVD? Eis a questão!" - Esse foi o maior dilema do Dreamcast antes do lançamento. A Sega optou por não adotar o DVD, para diminuir o preço do console e ter uma proteção maior contra a pirataria usando uma mídia própria. Nenhuma das duas coisas funcionou direito: Apesar do Playstation 2 realmente ter sido muito mais caro, ainda era o DVD Player mais barato da época, o que ajudou muito nas suas vendas. E uma brecha que permitia ao Dreamcast ler jogos em CD-Roms normais fez dele um dos videogames mais pirateados da história.

#18 A Square jamais se interessou por consoles da Sega, no entanto, no auge da popularidade do Dreamcast, chegou a anunciar que havia um de seus games em produção para o aparelho. Não se sabe mais nada a respeito desse jogo, nem nome, gênero, nada. Apenas que um dia foi ao menos aprovado, e depois, cancelado.

 #19  O Dreamcast é bastante conhecido por sua versatilidade no quesito emulação. Mas pouca gente se lembra que a Sega chegou a anunciar um sistema de emulação online oficial para o seu videogame, uma espécie de Virtual Console no começo dos anos 2000. Estava confirmado que o serviço receberia jogos de Mega Drive e PC-Engine e outros poderiam vir a ser anunciados "a qualquer momento".

 #20 Outra sobre propagandas: A Sega da Europa acabou criando uma das propagandas mais esquisitas, porém bacanas, do Dreamcast: Cada país da união européia fazia uma provocação e então desafiava os outros para "resolver as diferenças" nas partidas online. Três exemplos: 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails