segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Entendendo a história e a cronologia de Street Fighter

 No momento em que escrevo esse texto, estamos (provavelmente) a um ano de distância do lançamento de Street Fighter V, a sequência da série de jogos de luta mais influente do mundo.

 Temos muita coisa pra especular sobre o novo jogo, incluindo a pergunta do milhão: Em que momento da cronologia da série a Capcom vai encaixar esse novo jogo? A pergunta é menos óbvia do que parece, visto que com o passar dos anos a Capcom deixou a maioria dos jogadores simplesmente perdida em relação a história oficial dos jogos - afinal de contas, em Street Fighter, depois do 1 não vem o 2, depois do 2 não vem o 3, e depois do 3 não vem o 4. Alguém crava que o 5 vai ser sequência do 4, então?
                              
 Claro, jogos de luta já tem por definição apenas uma história idiota que tenta explicar o porque de todo mundo ter resolvido rodar a baiana, mas ao passo que a maioria desses jogos simplesmente não tem histórias boas, Street Fighter vai além e faz uma bagunça imensa que é praticamente impossível de compreender sem um pouco de muita reflexão (ainda há o agravante de que muitas vezes a Capcom reescreve a história, no melhor estilo: "Lembra que dissemos que aconteceu tal coisa? Esqueça, na verdade aconteceu dessa outra forma...").

 Além disso, ainda há o fato de que cada um dos muitos personagens do jogo tem seus próprios finais, que muitas vezes não são canônicos (ou seja, não são oficiais) e simplesmente não se encaixam com a história. O final de muitos personagens são coisas que jamais aconteceram na historia do jogo, o que faz com que muitas vezes, o cara que mais jogou Street Fighter seja o mais confuso quanto a história e a cronologia da série.

A Capcom parece criar primeiro o jogo e os personagens da maneira que bem entender e só depois procuram um jeito de encaixar tudo na história do jogo. E por isso, inconsistências é o que não faltam.

 Mas esse é o blog onde o conhecimento inútil tem espaço e o blogueiro, quando posta, é porque está com tempo sobrando. Dito isso, vamos dar uma revisada na história de Street Fighter, seguindo a ordem cronológica do enredo dos games (e não da data de lançamento do jogo) pra que você finalmente entenda a história de Stret Fighter - até, claro, a Capcom mudar tudo de novo em Street Fighter V.

 PS: Afim de encurtar esse post que já será grande de qualquer jeito, não vou entrar em detalhes sobre acontecimentos secundários do enredo, nem me aprofundar nos momentos em que a série se mistura com outras como Final Fight ou Rival Schools. Deixo isso pra outro dia, num post específico. Também não vou me ater ao que é dito em mangás e outras fontes que, segundo a Capcom, são oficiais. Vou apenas resumir o principal da história de cada jogo.

 Sem mais delongas: It's Showtime!! (o anunciante de SF Alpha 3 não era o melhor?)

Street Fighter 

 O primeiro jogo nos apresentou alguns personagens icônicos como Ryu, Ken e Sagat, outros esquecidos como Joe e Mike (que estão na abertura de Street Fighter II, jogo em que eles nem aparecem por sinal), e alguns que ficam indo e voltando na franquia, como Adon, Gen e Birdie.
 Mas a história aqui é bem direta e reta: Você escolhe Ryu ou Ken para participar de um torneio de artes marcais nesse joguinho bem ruinzinho. E é isso. Simples assim. No final, Ryu vence o torneio, derrotando o poderoso lutador de muay thai Sagat.

 Anos mais tarde, a Capcom nos diria pra ignorar esse final e considerar a seguinte história (que é a canônica hoje em dia): Ryu na verdade tomou um cacete do Sagat, que ainda era um homem honrado, e estendeu a mão pra ajudar seu rival derrotado a se levantar. O instinto assassino de Ryu (o seu famoso e incontrolável lado negro por assim dizer) aflorou pela primeira vez naquele momento, e Ryu enfiou um Shouryuken com gosto no peito do Sagat. Ryu vence o torneio e começa a se questionar sobre o que estaria acontecendo com ele. Já o Sagat fica completamente **** da vida (e quem não ficaria?) e sai do torneio com uma cicatriz no peito e uns parafusos a menos na cabeça - e acaba contratado pela Shadaloo

Street Fighter Alpha / Alpha 2
(A série Alpha é conhecida como Street Fighter Zero no Japão)

 A Capcom nos disse para ignorar Street Fighter Alpha 1 e considerar apenas a história de Alpha 2, que tem algumas diferenças mais ou menos sutis.

 Na história de Street Fighter Alpha não há um torneio (ao contrário do que todo mundo pensa), na realidade o que rola é uma galerinha gente boa (ou não) viajando o mundo pra arrumar briga pelos mais diferentes motivos (e aqui, coisas como reencontrar um velho amigo ou finalmente conhecer seu ídolo são bons motivos pra sair no tapa). Há basicamente duas histórias dignas de nota:

 Depois de vencer Sagat, Ryu virou o cara a ser batido e tem um monte de gente querendo mostrar que pode vencê-lo. Ken quer medir forças com seu rival, Sagat quer uma revanche, Sakura quer conhecer seu ídolo, e o principal: Um sujeito chamado Akuma, responsável pela morte do mestre de Ryu e Ken, Gouken ("Mas ele não morreu", calma, vamos chegar lá), está interessado nesse lado negro que Ryu mostrou na luta contra Sagat. Depois de muita briga, Akuma se convence que Ryu ainda não está pronto deixa Ryu fugir, mas o aconselha a se entregar ao seu lado negro para ficar mais forte e assim terminarem a luta.

 Na outra ponta da história, temos M. Bison, o chefão da associação criminosa chamada Shadaloo. O cara é loucão de pedra e não tem boas intenções como todo bom super-vilão, mas está sendo seguido de perto por Charlie, um soldado da força aérea dos EUA. Chun Li também quer dar uns chutes na cara do Bison, para vingar a morte do seu pai. E também há uma mulher chamada Rose que quer salvar o mundo de vossa malevolência encarnada em Bison.

 Bison no entanto está de olho é em Ryu. Ele o caça, o derrota, prende, tortura, e faz uma lavagem cerebral pra que Ryu libere toda sua energia. Bison quer que o corpo de Ryu seja o novo hospedeiro de sua alma.

 Enquanto isso, Sagat está por aí lutando com deus e o mundo, perdendo para o seu próprio aluno Adon, e no meio de uma luta contra o Dan Hibiki, provavelmente as palhaçadas do Dan ou um pouco de senso do ridículo fazem Sagat voltar a si e perceber que a Shadaloo não é flor que se cheire.

 Street Fighter Alpha 3

 Continuando a historia inacabada em Alpha 2, Guile é enviado para descobrir o paradeiro de Charlie, e os dois juntos acabam destruindo o quartel general da Shadaloo - ao custo da vida do Charlie. Guile se torna mais um obcecado por vingança.

 M. Bison e o Ryu endemoniado lutam contra um time formado por Ken, Sagat e Sakura (que time improvável hein?). Sagat vence Ryu e o ajuda a recobrar a consciência. A força de vontade de Ryu consegue jogar a energia de Bison contra ele mesmo, detonando o malvadão de vez (ou eles pensaram que fosse isso). Sagat e Ryu decidem que vão deixar pra fazer seu desempate outro dia.

 Tudo parecia resolvido, mas o que ninguém sabia é que a alma de Bison sobreviveu e possuiu o corpo de Rose. Assim, ele pode esperar até os cientistas da Shadaloo lhe clonarem um corpo novo pra chamar de seu.

 Street Fighter II
 (Todos os jogos da saga Street Fighter 2 se incluem aqui: Turbo, Champion Edition, Super, Street Fighter de Rodoviária... enfim).

 Bison está de volta e dessa vez resolve organizar um torneio de artes marciais, para atrair os melhores lutadores do mundo e poder lavar suas mentes e usá-los como soldados da Shadaloo. Seus planos incluem tirar Akuma do esconderijo, o que mais tarde se revelaria um erro.


 Esse é o jogo mais popular da franquia, mas é curioso pensar que ele é relativamente escasso em informação oficial. Quem venceu o torneio? O que aconteceu? Vai saber. O que se sabe é que Akuma mata Bison com o seu ataque Raging Demon, que supostamente é capaz de matar até a alma do adversário, de forma que Bison não pudesse possuir mais ninguém.

 Sobre o torneio, há muitas teorias por aí sobre quem foi o vencedor. Há quem diga que foi o Ken, há quem diga que foi o Guile, há quem diga que quando a galera percebeu que o torneio era só fachada, ninguém mais ligou pra ele e portanto não houve vencedor - o que pra mim parece ser a explicação mais plausível. Não há uma resposta oficial sobre quem foi o vencedor.

 Street Fighter IV
 (Novamente incluindo todas as suas revisões, Super e Ultra Street Fighter IV)

 Nesse jogo ficamos sabendo que o Akuma é um baita de um incompetente: Gouken havia sobrevivido. E M. Bison também (com um novo corpo clonado, claro). O Akuma botou a maior banca esse tempo todo mas na real não conseguiu embalar ninguém na caixa, tenha dó!

 Mas o problema dessa vez não vai ser lidar com o Bison, e sim, com as suas criaturas. Bison tinha um monte de experiências genéticas. Mulheres, homens, criaturas que nem sabemos direito o que são: Olhando os personagens da série, dá pra ver que Bison tentou de tudo. Um desses experimentos é Seth, e é ele que vai começar a treta dessa vez.

 Seth criou uma espécie de divisão rebelde dentro da Shadaloo, chamada S.I.N, e organizou um novo torneio, para que pudesse copiar as habilidades dos melhores lutadores do mundo e assim se tornar mais poderoso. Seu principal interesse era, claro, Ryu.

 Bison retorna e mata Seth, depois que o torneio já tinha acabado. Enquanto isso, Gouken e Akuma se reencontram e duelam pela alma de Ryu. Gouken vence e ajuda Ryu a controlar seu lado negro.

Sobre o torneio em si: Embora Bison tenha destruído o Seth verdadeiro, não foi especificado o vencedor do torneio, de forma parecida com Street Fighter II. Ryu? Sagat? Zangief? C. Viper? Akuma? Rose? Todos esses personagens supostamente derrotaram um clone do Seth durante o torneio. Entretanto, há boas razões pra acreditar que o Zangief tenha nocauteado o Seth verdadeiro, e isso faz dele o campeão. Mas não é oficial.

 E no meio de todo esse rolo, Elena ainda arrumou um tempinho pra convencer o Akuma a tirar uma Selfie com ela.
O pior de tudo é que não há razões para não acreditar que essa parte é canônica
                             
 Street Fighter III: New Generation / 2nd Impact 
 (A história de Street Fighter III: New Generation foi substituída pela de Street Fighter III: 2nd Impact, mais ou menos como aconteceu com Alpha 1 / Alpha 2). 

 A Shadaloo está em frangalhos e aparentemente não vai mais causar problemas. Agora a organização a ser combatida são os Iluminatis (sim, aqueles dos documentários do History Channel e das teorias da conspiração que rolam na internet). No jogo, seu chefe é Gil, uma autoproclamada figura religiosa que quer que os mais fortes e mais valiosos juntem-se a ele em sua utopia de construir o mundo perfeito.

 Gil é diferente de Bison, e ao passo que não é tão malvado e ganancioso, sua organização também não vai ganhar o prêmio nobel da paz. Gil tem um irmão invejoso chamado Urien, que é bem mais agressivo. Não gostar de usar roupas parece ser uma característica de família.

 Gil também organiza um torneio de artes marciais para atrair os lutadores que precisa, e dessa vez o cara do bem em busca de vingança é Alex, outro militar, que teve um amigo hospitalizado depois de uma luta com Gil. Na verdade, essa vingança nem é tão bem justificada: Gil havia vencido o amigo de Alex em uma luta justa, e nem sequer o matou. Mas Alex é "sangue-no-zóio" e quer tirar satisfações mesmo assim. Alex vence Gil e o torneio, e isso leva a duas situações: Gil fica interessado no potencial de Alex, e Alex por sua vez se divertiu bastante durante o torneio e começou a entender por que as pessoas viajam o mundo em busca de oponentes mais fortes.

 Quanto a Ryu e Ken, nesse jogo eles são meros coadjuvantes: Ken está treinando o seu aluno brazuka que tem nome de americano, sobrenome japonês e uma irmã gata (que ninguém conhecia ainda), Sean Matsuda. E Ryu durante o torneio encontrou um ermitão chamado Oro, que também vive no Brasil, venceu o Ken no torneio usando um braço só e se convence de que Ryu pode ser o seu sucessor se treinar por algumas décadas. Oro só estava no torneio para encontrar alguém assim, e por isso, assim que encontrou Ryu, deixou de lado esse papo de torneios e Iluminatis. Mensagem subliminar: Quer esconder dois personagens principais? Manda eles pro Brasil.


Street Fighter III: Third Strike 

 Novamente, nesse game não há um torneio, apenas um bando de guerreiros meio loucos lutando por seus próprios motivos duvidosos. Apesar de ser um jogo maravilhoso, a história dele é bem simplória (o que a essa altura é bom): Temos Alex, que agora viciou em lutar, procurando o Ryu pra medir forças, e os Iluminatis ainda aprontando, mas não há nada muito dramático dessa vez, como um torneio ou um grand finale épico, apenas caminhos que se cruzam e batalhas que eventualmente acontecem seguindo a lógica de Street Fighter onde tudo é motivo pra lutar.

 Tudo isso sendo monitorado por Q, o personagem mais misterioso da franquia. Quase duas décadas se passaram desde o lançamento desse jogo e ainda não sabemos quem é Q, e o que ele queria afinal. Talvez a resposta venha em Street Fighter V, ou talvez não venha nunca.

 E Street Fighter V? Bom, pelo que podemos concluir tendo como base o que nos foi mostrado até agora, deverá se passar em algum momento próximo de Street Fighter III, talvez um pouco antes. Mas se aprendemos alguma coisa com esse texto, é que não dá pra confiar na Capcom: Talvez ela mude tudo, e no final de 2016, esse texto esteja completamente errado.

É esperar pra ver.

Atualização: Como mostra o modo história, Street Fighter V se passa mesmo em algum momento depois de Street Fighter IV e antes de Street Fighter III.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. O V se passa depois de Street Fighter IV e antes de Street Fighter III. É um elo entre os dois jogos.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails