segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A Borboleta e você



  Você gosta de insetos? Não? Acha eles nojentos? Feios? Venenosos? Perigosos? Asquerosos? Enfim, você tem sua coleção de adjetivos só para confirmar sua birra com esses simpáticos animaizinhos tão presentes na sua vida?

  Então vamos mudar a pergunta: Você gosta de borboletas? Graciosas. Bonitas. Coloridas. Sim, tudo isso. Mas ainda insetos. Tão insetos quanto as baratas. Mas dotadas de um glamour que inseto algum do mundo tem. Qual o segredo das borboletas? Simples: Uma vida de muita dedicação e muitos riscos...



   Bem, a primeira vez que uma borboletinha recém nascida vê a luz do dia, ela não deve se sentir uma das criaturas mais privilegiadas do planeta. Primeiro por que ela é pequena. Segundo por que ela é molenga. Terceiro por que ela não pode voar, nem sequer andar: Só rastejar. Quarto por que ela é feia pra dedéu. Sim, ela é uma lagarta. Um dos bichos mais citados quando a pergunta “qual animal você mais tem medo / nojo?” é feita para uma pessoa.

  Esse ser só pode fazer duas (algumas três) coisas:

A – Se ela tiver sorte, tem algum tipo de veneno para se proteger do perigo, ou seja, pode machucar os outros
B – Se ela não tiver sorte, ela só pode rezar
C- Em ambos os casos, ela tem que comer.

  Mas para que comer? Esperança de dias melhores, claro. Quando o mundo inteiro ao seu redor é uma salada gigante, e você já é feio demais para pensar em descolar umas gatinhas (os), não há nada que te motive a não passar seu dia comendo. E comendo. E comendo. E comendo.


  Lagartas comem, e torcem para não serem comidas. Pássaros, repteis, mamíferos e até outros insetos estão loucos para fazer uma boquinha, e isso é um péssimo sinal se você é um bichinho gosmento, suculento, rico em proteínas e lento. Se nem veneno você tem, tá mais ferrado ainda. Se você tem e ele não funciona em algum tipo de predador, e esse aparece, dá na mesma. E se você tem um super veneno, mas algum ser humano não gosta de você e te dá uma chinelada, igualmente.

  Mas enquanto estão vivas, lagartas não desistem. E comem até dizer chega. E o que elas fazem quando dizem chega? Elas radicalizam, ora bolas.

  Se envolvem em um casulo. Se trancam da vida. Esquecem de tudo que está lá fora. Viram emo. Mas é por uma boa causa, embora seja o momento mais arriscado da sua vida: O veneno não vai mais protegê-la. Ela está 100% imóvel agora. Imóvel, sem veneno, e dormindo. Por um bom tempo. É pedir pra morrer.

  Mas é ali, arriscando a própria vida, que elas alcançam a glória. Algum tempo depois elas emergem, com belas asas coloridas, longas pernas, e saem voando, felizes, como quem diz: “Eu venci na vida! Eu superei todas as adversidades!”, para desespero dos outros animais do jardim, que nada podem fazer além de olhar para ela e aplaudir (claro, os que tem patas para aplaudir)

. Essa é a trajetória de vida de uma borboleta. Que começa rastejando, feia e indefesa, e termina voando, linda e destemida.

 Então, se hoje você é uma lagarta, não desanime, persista. Acredite. Se arrisque. E então, prepare-se para voar amanhã.




2 comentários:

  1. Vc só esqueceu de citar, que algumas depois deste esforço todo, vivem pouquissimo..
    mas é um espetaculo liiiiiiiiiiindo!

    eu adoooooro! ♥


    saudades

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails