segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Visitantes do espaço?

  Eles estão por ai.  Ou pelo menos o mais provável é que estejam. Só não se sabe exatamente aonde, como prega o famoso Paradoxo de Fermi, ao perguntar: “Afinal, onde eles estão?”

  Hein? Eles? Paradoxo de quem? Que papo louco é esse?
  Bem, estou falando dos ETs.

  “Você acredita em ETs?”. Sim. Por que não? Estatisticamente, é muito provável que exista vida fora da terra. Mas é igualmente improvável que eles venham até aqui, ou que sejam como descritos. ETs existem, mas ninguém jamais fez contatos imediatos de primeiro, segundo ou milésimo grau, simplesmente por que eles nunca vieram até aqui, e não são homenzinhos baixinhos e olhudos. Vamos analisar os motivos?


  Por que eles existem?
  Considere uma questão matemática. Só na nossa galáxia, existem milhões e milhões de estrelas, cada uma com seus próprios planetas. Sendo assim, se a cada milhão de estrelas, uma tiver um planeta com condições de desenvolver vida, ainda teremos muitas centenas de planetas. E se dessas centenas, 1% tiver realmente desenvolvido vida, ainda teremos uma quantidade grande de planetas. Se dessa grande quantidade pelo menos 1% tiver vida inteligente, teremos um número alto de planetas com vida inteligente só na nossa galáxia, mesmo considerando que civilizações inteligentes provavelmente não durem muito tempo. E a nossa galáxia é só mais uma, sem nada de especial, perdida entre bilhões de galáxias no universo. Esse é o princípio básico da equação de Frank Drake, um famoso astrônomo e astrofísico que é um defensor férreo da vida fora da terra.

    E como eles se parecem?
  Com tudo, menos com seres humanos. E é ai que está a primeira contradição dos supostos encontros com alienígenas retratados mundo a fora. Veja bem, nós, terráqueos, podemos ser assim:

Assim:

Ou assim:




Agora me dê um, e somente um bom motivo para um cara que mora em outro planeta ter seguido os mesmos padrões de evolução que a raça humana, bípedes, com dois olhos, dois braços, duas pernas, uma boca... Impossível não é, mas é muito improvável. O mais provável é que eles tenham formas nunca antes vistas, e nem sequer imaginadas.

  Inteligência.
  Da mesma forma como eles se desenvolveram fisicamente, o conceito de inteligência é bem subjetivo. Se comunicar através da fala, conseguir transmitir conhecimento adiante, o domínio da escrita e da tecnologia em geral e a percepção da própria existência são alguns sinais de inteligência. Na Terra. E lá fora? Não se sabe. Talvez eles não se comuniquem conosco não por serem incapazes, e sim por que não querem. Talvez eles tenham desenvolvido uma civilização completamente diferente, que não emita nenhum sinal para fora de seus limites planetários, propositalmente ou não. Ou talvez eles ainda não tenham desenvolvido tecnologia nenhuma. Das bilhões de espécies que já habitaram o planeta ao longo de bilhões de anos, apenas uma conseguiu ir ao espaço. Diferente do cinema, não é por que o cara é um ET que necessariamente a tecnologia dele será de ponta.

  Achar é fácil, o difícil é chegar.
  Mas o grande problema dessa questão, são de fato as distancias. Nós ainda não conseguimos sequer chegar a marte (salvo os robozinhos). Mesmo aceitando que o planeta capaz de abrigar vida mais próximo (até agora o descoberto é o Gliese 581c) realmente tenha desenvolvido vida, e que eles sejam tecnologicamente mais avançados que a gente, e que eles queiram vir até aqui, o que estatisticamente é bem improvável (mas não impossível), o astronauta “Gliessiano” teria que viajar durante 20 anos na velocidade da luz para chegar.

   E viajar na velocidade da luz é algo muito inviável. Primeiro por que quando a massa atinge a velocidade da luz, ela se torna energia. Então, bye bye ET. Mesmo que de alguma forma contornassem isso, ainda haveria o problema do combustível: Para uma nave viajar na velocidade da luz, ela precisaria de uma energia suficiente para explodir o sol! Imagine então quanto ela gastaria para manter essa velocidade por 20 anos. Sem contar que ele teria que voltar, teoricamente.

  Existe na verdade uma saída. São os chamados “buracos de minhoca”. Teoricamente, são “buracos” no espaço tempo, que podem ser usados como atalhos para atravessar grandes distâncias, e por que não, até mesmo viajar no tempo. Parece ficção, mas não é, e a ciência está quase convencida deles. O grande problema é que o que eles poupariam de tempo, é equivalente ao quanto eles gastariam a mais de energia. Ou seja, para criar um buraco de minhoca, gastariam uma energia quase que infinita.
  Lembrando que estamos falando de um planeta que nas medidas espaciais pode ser considerado próximo.
  Vê? É muito mais complicado do que embarcar num disco voador...

  Extraterrestres ou extra-americanos?
    Falando em discos voadores, eles também existem, e quem os viu de fato não estava mentindo ou louco. Mas de extraterrestres eles não tinham muita coisa. Eles eram de lugares muito piores para os americanos do que outro planeta: Eram russos, eram alemães, enfim. Eram de inimigos.
  Basicamente esses discos voadores eram aviões preparados para passar despercebidos pelos radares americanos. Aviões de guerra de ultima geração, sendo testados em solo inimigo. Quem viu se assustou, e influenciados pelos filmes da época, achou serem seres de outro planeta. Como para os EUA era menos vergonhoso que sua tecnologia não pudesse detectar naves de alienígenas do que naves russas, eles não fizeram a menor questão de dizer a verdade... O que deixou o caminho livre para os boatos crescerem.

  Pelo menos dirão oi?
  Bem, já que não podem nos visitar, será que pelo menos poderão falar com a gente? É um pouco mais viável, mas não menos difícil. Entretanto, as tentativas de comunicação já começaram. Pesquisadores já mandaram para pontos do universo sinais contendo algumas informações básicas, como o formato do ser humano, o sistema solar e a nossa localização nele (o que não deixa de ser uma péssima idéia, já que isso constitui em mandar um mapa para que eles nos encontrem, antes que nós os encontremos, sem que saibamos suas intenções...). Porém, as distancias do universo também servem para eles, ou seja, esses sinais certamente ainda nem chegaram a algum planeta qualquer além do sistema solar.

  Mas a tecnologia evolui, e rápido. Até pouco tempo atrás não se sabia se havia planetas em volta de outras estrelas além do sol. Hoje já se conhece mais de 300. E é provável que nas próximas décadas esse quadro melhore ainda mais. Nunca estivemos tão perto de encontrar vida fora da terra, e arrisco dizer que agora é apenas questão de tempo para que tenhamos a confirmação de que não estamos sós.

   E você, que recado mandaria para os extraterrestres?

5 comentários:

  1. Guilherme Breda de Castro9 de agosto de 2010 16:01

    Lendo sobre a inteligência, eu me lembrei do seriado ALF. O nome dele é Gordon, mas é chamado de ALF (abreviatura Alien Life Form). No primeiro episódio, ele cai na Terra. E não tem a menor idéia de como consertar a nave. Ao ser indagado, ele responde mais o menos assim (traduzam para os termos tecnológicos dos anos 80): "eu comprei a nave numa loja. Quando quebra, eu chamo o seguro que eles providenciam o conserto. Mas aqui eu não consigo chamar o seguro porque o meu celular está sem sinal."

    ResponderExcluir
  2. Nossa, tinha esquecido do Alf. Além do nome americano dele, ele ainda fala inglês fluentemente hehe

    Bem lembrado.

    ResponderExcluir
  3. hauhauaaua Palmas virtuais para você cara. Sou seu fã desde os textos off's da Nintendo DS !

    ResponderExcluir
  4. em certo ponto vc tem razão, mas não sabemos o tipo de inteligência de determinados seres se eles iriam precisar de tanto combustivel assim???talves ñ precise rapa???

    ResponderExcluir
  5. Vcê é inteligente pelas palavras,mas lembre-se,eles estão milhões de anos evoluídos do nosso planeta. Com muita tecnologia,esses seres criaram um portal no tempo de onde se ganha milhões de Kms,alguns transformam-se em (fotossíntêse)ao ao passar por este portal. Essa máquina armazena energia solar e obtêm uma velocidade inimaginável. Existem planetas muito mais interessantes p/ esses seres visitarem,na maioria das vezes,eles mandam nas naves deles p/ o nosso planeta animais como o (macaco).Houve sim casos de caírem naves aqui no nosso planeta,porêm eram animais desse planeta porêm mais inteligente que o nosso macaco.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails