segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Os Alienígenas Estão Atacando!!

  Pessoas alegam contatos imediatos com seres de outros planetas desde muito tempo atrás. Existem até teorias que sugerem que os Deuses de inúmeras culturas passadas fossem na verdade, alienígenas.

De concreto, no entanto, o que temos é algo pouco maior do que nada. Algumas evidências, algumas fotos, vídeos e depoimentos e toda a sorte de coisas questionáveis, que servem como combustível para teorias conspiratórias envolvendo as autoridades, ET de Varginha, Homens de Preto, ET Bilú, e muitas outras idéias até criativas que jamais foram confirmadas.

Para a ciência, esse tipo de visitas é algo muito improvável, por conta das grandes distâncias do Universo, entre outros fatores. No entanto, novas descobertas e teorias, como os Buracos de Minhoca, fazem do tema algo que não podemos descartar completamente.

Mas, vamos imaginar que realmente sejamos visitados: E se eles chegassem agora? Como seria a reação? Que consequências isso traria para a nossa sociedade? Seriam bonzinhos ou chegariam chutando tudo? Algo parecido já aconteceu? Estamos prontos? É isso que nós veremos agora...


O dia que os Marcianos chegaram

Hoje nós sabemos que, se houver algum tipo de vida inteligente em Marte, ela definitivamente não quer ser encontrada. Temos uma grande quantidade de fotos, imagens e vídeos, além de dados bastante confiáveis sobre o planeta vermelho e o que sabemos é que apenas criaturas extremófilas poderiam sobreviver por lá. Poderiam, já que por enquanto ainda não encontramos nenhuma delas.

Mas o contexto era diferente na década de 30. Na época não se sabia muito sobre a superfície marciana, muita gente acreditava mesmo que ela fosse povoada e os homenzinhos verdes vindos de lá estavam totalmente na moda. Momento perfeito então para uma brincadeira... Ou não.

Alheio a possibilidade da brincadeira dar errado, uma rádio estadunidense chamada CBS narrou, no dia 30 de Outubro, que nos EUA é uma espécie de 1° de Abril, ou seja, o dia da mentira, uma suposta invasão dos marcianos a Nova Iorque. A rádio noticiou de forma a parecer que as naves já estavam em Manhattan e, claro, resistir era inútil.

O pânico tomou conta da cidade. Quem tinha uma arma, se armou. Quem não tinha arma, mas tinha como fugir, fugiu. Quem tinha coragem, se apresentou ao exército para combater as ordas de marcianos. Quem não tinha nada, se trancou em casa.... Quando foi anunciado que tudo não era mais que uma brincadeira, obviamente muita gente não achou a menor graça...

Mas, e se um dia for pra valer?

Segundo alguns teóricos, a idéia de que os ET's, vindos seja lá de onde for, vão chegar distribuindo raios desintegradores e matando todo mundo não parece fazer tanto sentido assim, se analisarmos a questão de um ponto de vista lógico.

 Afinal de contas, o que levaria uma civilização inteligente o suficiente para encontrar uma maneira de viajar pelas enormes distancias espaciais (que jamais poderiam ser vencidas da maneira tradicional, pelo menos não da maneira como conhecemos, uma vez que levariam centenas de milhares de anos viajando na velocidade da luz para chegarem aqui), gastar toda essa energia simplesmente para brigar? Não estariam eles evoluídos o suficiente para já terem esquecido essas “bobagens” como guerras e brigas?

Bem, esse é o panorama mais otimista. O de ET's bonzinhos que chegariam e diriam: “Saudações Terráqueos. Eu venho em paz!”

Eles poderiam nos trazer coisas boas, como novas tecnologias, novos conhecimentos, uma compreensão melhor sobre a vida e o universo em sua forma geral e quem sabe até a cura para doenças. Essa imagem de alienígenas benfeitores estaria intimamente ligada as teorias de deuses astronautas. Há ainda outros três panoramas possíveis... 

A segunda possibilidade diz respeito a eles virem unicamente para nos estudar, de forma bastante parecida com o que nós estamos fazendo na atualidade, indo para os planetas vizinhos apenas para estudar. Esses poderiam se tornar qualquer um dos outros tipos de invasores citados aqui.

A terceira situação seria exatamente o oposto da primeira, e a mais famosa: Eles estariam interessados em roubar nossos recursos, nos escravizar, ou qualquer outra coisa que faça com que eles não sejam exatamente nossos amigos. Seria uma ocupação muito parecida com o que os Europeus fizeram com a América...

E por fim, pode haver o tipo neutro: Ele vem pra cá simplesmente por não ter muito mais o que fazer. Observa, interage, até prega umas peças as vezes. Sabe, escolher alguém que não inspire muita confiança para as outras pessoas, aparecer para ele e depois ficar apenas rindo de como todos pensam que o pobre coitado enlouqueceu. Para ele, somos uma espécie de safari, e a regra é: “pode olhar, mas não pode toca-los ou encomoda-los”.

Como lidar com eles?

Cada caso pediria que agíssemos de formas bem diferentes. E, acredite, não estamos prontos para nenhum deles. Sabe, não existe um protocolo em nenhum país do mundo que diga como agir se formos atacados por uma raça de outro planeta (o que é algo esperado, considerando as chances disso acontecer). Mas se der uma zebra e eles chegarem, nos pegarão de calças curtas.

Bem, mesmo se eles fossem benignos e chegassem pedindo algo do tipo “leve-me ao seu líder”, o que responderíamos para ele? Quem seria o escolhido para nos representar em uma reunião galática? O Presidente? De qual país? Seria melhor escolher líderes de grande importância e renome pelo mundo para recebe-los? E quanto a povos como a China e a Coreia do Norte, seus líderes poderiam estar entre os escolhidos? E os líderes religiosos? E uma pergunta ainda que talvez seja mais relevante: Poderíamos confiar nos ET's? Veja: Os Europeus chegaram na América se fazendo de bonzinhos, amiguinhos dos nativos. E depois mostraram sua cara, escravizando, matando, destruindo, obrigando-os a seguir sua religião e fazendo o que queriam com as sociedades americanas. O que impediria os ET's de fazerem o mesmo?

Se fazendo de bonzinhos para nos trair depois ou já avisando que resistir será inútil desde o primeiro momento, outro problema surge: Como enfrentar uma espécie com uma tecnologia muito melhore que a nossa? Ainda usando essa ocupação como panorama, quando os Europeus chegaram na América, eles tinham armas de fogo, enquanto os nativos tinham arcos e flechas. A tecnologia dos nativos estava uns 300 anos atrasada, e foram totalmente esmagados. Qualquer criatura que consiga viajar até aqui vinda de outro ponto da galaxia já cogitando a possibilidade de brigar estará no mínimo uns 1000 anos na nossa frente. Ou seja, possivelmente jogaremos todo o nosso estoque de bombas nucleares contra eles, e no final eles estarão rindo de nós. Ou sequer perceberão que aquilo foi um ataque...

E a sociedade?

Outro grande problema seria como a política, a sociedade em geral e as religiões aceitariam esse fato. O que mudaria? Certamente, independente do objetivo deles, uma onda de pânico tomaria conta das ruas. Isso sem contar as teorias conspiratórias...

Mais do que a política, que teria apenas que se renovar e se adaptar de forma a expandir suas idéias para níveis além da nossa sociedade, as religiões é que poderiam enfrentar problemas.

Algumas religiões não teriam nenhuma dificuldade em lidar com esse tipo de coisas. Outras no entanto, poderiam ver muitos de seus seguidores mais fanáticos se matarem, além de uma possível revolta dos que ficassem vivos. A Religião Católica, aliás, já até andou se prevenindo, com o Vaticano informando que acredita sim que seja possível haver vida em outros planetas, e que isso não iria contra a sua fé. Uma manobra esperta, para evitar boa parte dos problemas que a iminente descoberta de vida fora da Terra poderia causar...

Se os aliens realmente declarassem guerra e nos encontrássemos em um dilema nos moldes do filme Independence Day, no entanto, certamente teríamos a maior manifestação de patriotismo (ou no caso, planetismo) da história: Todas as pessoas e nações do mundo deixariam suas diferenças de lado e passariam a cooperar e torcer uma pelo outro, na esperança de repelir os malvados invasores extra-terrestes. Rivalidades e guerras históricas se tornariam irrelevantes. Acredite: A melhor forma de unir dois inimigos, é dar a eles um inimigo em comum ainda pior...
E, malignos ou não, certamente ainda haveria o problema do racismo: Se muitos de nós ainda são intolerantes com “irmãos de raça”, por que haveriam de tratar bem “gente” que nem do planeta é?

Voltando para a Terra

Tudo que foi citado aqui faz parte de um cenário provável, no entanto, totalmente fictício. Simplesmente porque, pelo menos diante da nossa vã compreensão do Universo até aqui, uma invasão dessas seria totalmente improvável. Primeiro, pelo já citado problema das distancias espaciais. Elas poderiam ser dribladas com o conceito dos Buracos de Minhoca ou qualquer outra tecnologia que não saibamos ainda. Mas há outra questão a se levar em conta: A vulgaridade da vida:

Se a vida é comum no Universo, ainda não sabemos, e é difícil afirmar ao certo se é, ou não. Mas a vida inteligente, muito provavelmente, é rara. . Em 4 bilhões de anos, nosso planeta Terra desenvolveu vida, que evoluiu, de forma a desenvolver tecnologia e viajar ao espaço. Mas apenas uma das milhões, talvez bilhões, de espécies que surgiram nesse planeta, conseguiu fazer isso. As outras, jamais tiveram capacidade, ou interesse, em coisas desse tipo.

O que leva a crer que a raça humana é uma exceção. Podemos ser a única raça inteligente (quando falo “inteligente”, me refiro aos padrões de inteligencia definidos por nós, humanos, para seres aqui da Terra, o que pode não corresponder com o sentido real, ou o sentido alien, de inteligencia). E mesmo que consideremos que não sejamos a única exceção, e sim que elas aconteceram outras vezes, fazem poucas décadas que conseguimos chegar na Lua, e mandamos algumas sondas e robôs para planetas vizinhos e lugares próximos da gente. 

Ou seja, se considerarmos que a Terra é um planeta onde a vida surgiu e desenvolveu-se seguindo um curso natural, uma sociedade desenvolver tecnologia espacial é um processo muito raro e demorado para acontecer. Sem contar que muitos teóricos argumentam que civilizações avançadas não duram muito... (e nosso crescente arsenal de armas capazes de matar a nós mesmos cada vez mais rápido são uma boa pista disso...)

A imagem de ET's sempre avançados em relação a nós é algo muito explorada pelo cinema, mas que dificilmente corresponde ao panorama real do Universo. O mais provável é que em diferentes pontos do cosmos, os seres mais avançados de cada planeta olhem para cima e pensem: “Será que estamos sós?”

Ou pior: Eles podem muito bem não ter o menor interesse nisso. Afinal de contas, tem culturas diferentes, evoluíram de maneira diferente, surgiram de maneira diferente, e podem jamais ter desenvolvido o interesse em viajar pelo espaço, tendo eles desenvolvido tecnologia, ou não.

E se for esse o caso, é bom que eles se preparem. Porque nós, embora ainda engatinhemos nesse sentido, já começamos a viajar pelo espaço. Um dia, provavelmente, os visitantes Alienígenas seremos nós...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails