terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Nintendo DS


Relembrar é viver, especial: Nintendo DS.

A Nintendo é a mãe,  esposa e dona dos videogames portáteis. Um fato. A Nintendo domina esse mercado desde quando ela mesma o criou com o Game & Watch até hoje com o Nintendo 3DS. Entre altos e mais altos ainda, Sega, SNK, Bandai e Sony já tentaram,  mas destronar a Big N se tornou uma tarega ingrata - e nem quando ela saiu da zona de conforto, abandonou a linha Game Boy e lançou o Nintendo DS ela foi esa fácil. 

Muito pelo contrário,  o DS se tornou recordista de vendas e um dos maiores sucessos da historia da industria de games.                                                

E hoje, dia 21 de Novembro de 2014, completam-se 10 anos do lançamento desse console incrível.

Então que tal fazermos uma retrospectiva? Falar um pouco dos games, dos grandes momentos do console? Os pontos que ele se ressaltou, os pontos que ele deixou a desejar? Acho que agora é uma hora pra fazermos esse tipo de análise com a cabeça fria, certo? Já da pra seguramente apontar os games que tiraram o máximo dele agora, e não em tópicos que pipocavam já em 2007...

Da até pra apontarmos os melhores, dividindo por inumeros criterios, sem medo de errar.

Bem, eu começo, citando algumas considerações minhas sobre o console (lembrando que pra toda regra existem...


Tecnicamente falando...
Nintendogs, Brothers in Arms DS, Mario 64 e Metroid Prime Hunters. O que esses games tem em comum? Sempre são citados entre os mais impressionantes do ponto de vista técnico do DS. E são jogos da primeira leva. E isso é uma coisa muito rara em games, já que normalmente, os games do fim da vida do console costumam ser os mais belos.
A impressão que fica é que depois de certo ponto, a maioria das empresas simplesmente desistiram de extrair mais do limitado hardware do console, limitando-o a usa-lo como um GBA de duas telas.

A moda é o passado
Muitas séries se deram bem no DS fazendo algo extremamente logico: Voltaram as suasraizOzes. Mario, Sonic, Space Invaders, Contra e Castlevania foram alguns dos jogos que deram uma de conservadores no DS, usaram os velhos conceitos que os fizeram famosos, e cairam nas graças dos gamers. Fora a incontavel quantidade de ports e remakes, alguns fantásticos (os dois FF), outros meio nas coxas (Rayman 2). E isso lembra que as vezes...

O difícil é fazer o simples 
Um problema crônico no inicio da vida do DS era o fato de que todo jogo TINHA que usar a touch de alguma forma. E alguns simplesmente não tinham a menor condição disso. No desespero, os procdutores conseguiram criar uma extensa lista de dicas pra um possível manual de "como estragar um belo game".
Com o tempo isso diminui, mas não deixou de existir. Alguns games realmente seriam muito melhores se não tivessem forçado o uso da tela sensivel ao toque.

O "novo-velho" gênero
Muita gente nem conhecia o gênero point & click. Muitos outros tinham ouvido falar, mas nunca haviam jogado (eu incluso). O DS trouxe esse gênero de volta a vida, com estilo, trazendo alguns dos melhores jogos dessa categoria de todos os tempos, como a incrivel série Phoenix Wright e o genial Hotel Dusk.

O console dos RPG's
O que não falta ao console são RPG's de qualidade, de todos os estilos, para todos os gostos. RPG, RPG de ação, RPG de estratégia, tempo real, online, ocidental, oriental, medieval, futurista... Tem pra todos o gostos, idades, estilos. Dê uma rápida busca por Final Fantasy em qualquer site de roms que você já vai entender o que eu quero dizer. E FF é só uma pequena, muito pequena mesmo, parcela do que tem de opção...

Esportes? Luta? Corrida?
Por outro lado, o que tem de RPG, não tem de esporte. Cite ai, de cabeça, dois bons jogos de basquete, de hockey, de baseball e de futebol americano. É, não tem! O DS pecou muito nisso.
Jogos de luta estariam na mesma draga, porém, com a chegada do espetacular emulador de Neo Geo, esse problema morreu.
Quanto a jogos de corrida, há dois lados da moeda: Os jogos de corrida do DS realmente são piores que os jogos de corrida dos outros consoles do seu tempo, e isso é natural. Mas numa comparação mais justa, com consoles com poder gráfico semelhante, posso afirmar que o DS tem jogos de corrida praticamente tão bons quanto o Saturn, PSone e N64.

Nada supera o talento. E a dedicação
O DS pode não ser um um Wii, DC, Xbox ou PSP, mas não da pra negar que o trabalho feito com homebrews no console foi muito satisfatório.

Adiantaram em anos, muitos anos mesmo, uma das grandes vantagens do DSi (multimidia), e criaram outras homebrews simplesmente geniais, como por exemplo Colors.
Quanto a emuladores, todos os consoles relevantes que o DS poderia emular, ele, bem ou mal, emula. Alguns emuladores pararam no tempo por falta de dedicação (SNES), outros ficaram impressionantes justamente pela questão da dedicação de seus criadores. O NeoDS é um ótimo exemplo.

A portabilidade
Antes do DS, os portateis que eu tinha não eram tão portáteis assim. Eu pegava aquela pilha de cartuchos, saia pra jogar, morrendo de medo das pilhas acabarem. E se eu jogasse no metrô e acontecesse de chegar ao meu destino antes de um save point, eu me ferrava. Flashcard, bateria recarregavel e o sleep mode resolveram meus problemas. I love you, modernidade...

Quem disse que estou jogando?
O DS provou por A + B que os games nem sempre precisam ser games. Afinal, nós também vivemos. Também precisamos aprender outros idiomas, aprender a cozinhar, ou ler uma porrada de livros para aprender um monte de coisas. O DS tem uma biblioteca impressionante de games que não são games. E isso é bom.

Estereotipado
"Console de criança". O DS tem muitos, muitos jogos com esse publico alvo. E isso talvez esconda um pouco os jogos com temas mais adultos lançados pro console. Falo de Resident Evil, Dementium, os jogos de guerra, Ninja Gaiden,Hotel Dusk, GTA... O DS tem jogos para todos os gostos e idades. E esse é um dos seus maiores pontos fortes.
O problema é que a própria imagem da Nintendo, que sempre tentou vender-se como uma espécie de Walt Disney dos games, e a própria estratégia de marketing dela, podem passar uma impressão errada do DS.

Malditos japas egoistas!
A otakada original tem uma quantidade de games bons que só foram lançados lá de dar inveja. E com o fim da vida do DS, as esperanças desses games virem pra cá desaparecem. Agora é depender de algum grupo de fãs pra traduzir games como Xenosaga para nós. O lado bom é que algumas bizarrices ficaram só por lá, como o jogo das bruxinhas, ou outros com temas até piores... 

Chega de falar
Vou apenas citar, pelo nome, o primeiro jogo que me vem a mente quando me perguntam algo do DS:
Vale o console: Serie Phoenix Wright
Ação: Ninja Gaiden
RPG: Final Fantasy IV
Gráficos: Nintendogs
Tiro: Metroid Prime Hunters
Corrida: Mario Kart DS DS
Survival Horror:
Dementium
Puzzle: Puyo Pop Fever
Luta: Ultimate Mortal Kombat / NeoDS
Plataforma 2D: Castlevania Order of Eclesia
Matador de horas: Pokémon
Mais genial: Scriblenauts
Originalidade: Feel The Magic
Decepção: Grid
Sandbox: GTA Chinatown Wars
Melhor volta as origens: Space Invaders Extreme
Melhor multiplayer: Metroid Prime Hunters
Plataforma 3D: Mario 64
Esporte: Sega Superstars Tennis
Musical: Elite Beat Agents
Emulador: NEODS
Homebrew: Collorsl

Essa lista se baseia unica e exclusivamente no meu gosto pessoal. Sua opinião é muito bem vinda nos comentários! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails