terça-feira, 15 de julho de 2014

O Mistério de Carlinhos Brown

  Me perdoem os puristas. Me perdoem os politicamente corretos. Me perdoe a Rede Globo. Me perdoem todos vocês mas eu preciso dizer isso: Por que diabos o Carlinho Brown tem TANTA moral nesse país?

  Sim, eu sei que ele é (ou já foi, na verdade, pois ele mesmo parece ter se esquecido que era) um grande percussionista, mas o cara simplesmente figura traulitando em todos, absolutamente todos os eventos em que o Brasil precisa de uma representação. Ele aparece mais do que o Pelé. Ele aparece mais do que o Roberto Carlos. Ele aparece mais do que a Dilma, Lula, FHC e provavelmente todos os presidentes eleitos democraticamente somados. 

  Incrível! O cara está em todas! Ele é o escolhido pra representar a CARA do povo Brasileiro. Não estou dizendo que algumas regiões e nichos por esse Brasil enorme não possam ser representados por ele, mas na boa? Eu te garanto que aqui no Sudeste nós não vamos trabalhar assim:
Nem com a Shakira. Nem com esses óculos. E definitivamente, nem com esse cocar de cartolina.  

   Se fosse só a chatice e a breguice dele estaria tudo em casa. O problema, no entanto, é que fora agitar algum trio-elétrico na Bahia durante o carnaval, Brown não fez basicamente nada relevante pra estar tão bem na fita nos últimos, nos últimos... Nesse século, corrijam-me se eu estiver errado. Desde "A Namorada", Brown parece ter emplacado tantos sucessos quanto o Vinny e a Luka.



  Antes que comecem a me chamar de paulista xenófobo (ainda não começaram?), devo me defender e dizer que eu realmente não vejo nenhum artista brasileiro melhor do que a Ivete Sangalo para ter feito o encerramento da Copa do Mundo. Não há no Brasil alguém que agite uma platéia como ela. Há outros tantos artistas nordestinos que fariam um papel melhor do que o Carlinhos Brown ali, mas não vou perder tempo citando-os pois sei que pra você que já me odeia a essa altura do texto, tanto faz. Vou aproveitar o bonde pra dizer que particularmente achei as escolhas de Alexandre Pires e Claudia Leitte (dois artistas que estão bem longe da minha playlist, é verdade) muito boas também. Mas preciso mencionar: Era preferível que fosse o É o Tchan ali do que o Carlinhos. Artista perdido dos anos 90 por outro, pelo menos o É o Tchan tem belas dançarinas. Não que eu seja exatamente fã deles, mas a juventude certamente gostaria mais da Anitta ou Luan Santana ali, acredito. E desde o Max Payne 3, Emicida ganhou uma baita moral lá fora. Por que não? Por que não alguém que está em evidência HOJE?

 Até porque o tão alardeado talento indistinguível do Carlinhos não foi exatamente explorado no encerramento: Ele basicamente só pulou e agitou os braços como faria qualquer um de nós com um pouco da natasha na mente

  E não deixemos de citar o suposto histórico (polêmico) do agitador cultural (ele se define assim): Entre outros, Brown é acusado de zicar (sem provas, e de uma maneira um tanto maldosa, é bom que fique bastante claro) a banda Sepultura  (a formação original separou-se depois de uma parceria com ele), o casamento de Chico Buarque e Marieta Severo (supostamente acabou porque a atriz não concordava com o casamento da filha Helena com Brown), o filme Velocidade Máxima 2 (sorte que a diva Sandra Bullock é inzicável), o semi-chará Mano Brown (durante um VMB), o Planeta Atlântida (cujo a estrutura caiu durante o show do Lulu Santos, pouco antes de Brown entrar no palco) e claro, a participação brasileira nos últimos, errr, basicamente todos os grandes eventos esportivos recentes.

 Menção honrosa ainda aos (deliciosos e bastante práticos) Cup Noodles, que pouco tempo depois de chamarem Brown para ser garoto propaganda quase foi tirado de circulação pela Anvisa. E também pra UOL, que nos seus tempos de AOL (e de Carlinhos como garoto propaganda) passou maus bocados aqui no Brasil.

 Sem contar, claro, a já lendária Caxirola, um objeto tão representativo do nosso Brasil brasileiro quanto o seu criador. E o próprio Bloco Timbalada, criado por ele mesmo, que decretou falência algum tempo depois.

Bom, é isso, Carlinhos Brown é o Mick Jagger de tamborim. E de cocar na cabeça. E talvez, mais poderoso ainda: Mick Jagger pode zicar quem for, mas é inegável que é totalmente imune aos seus poderes. Já o Carlinhos...









Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails