sexta-feira, 27 de julho de 2012

Fobias curiosas


Eu tenho medo. Você também. E isso é bom.
  
Você pode até bancar o durão mas todos sentem medo, e isso é ótimo, como já foi mostrado aqui mesmo na postagem específica sobre medo. Sabemos que o medo é normal, mas, todo medo é normal?

Bom, depende. Quando uma pessoa tem um medo sem explicação razoável, perde o controle voluntário de si mesma, tende a evitar a todo custo uma situação ou a relação entre o medo e a situação que o causa é desproporcional, dizemos que ela tem uma fobia. Ter fobia a alguma coisa não é algo raro: Aposto que você conhece um aracnofóbico (alguém que tenha pavor de aranhas) ou mesmo spectrofóbico (alguém que morra de medo de fantasmas). Pessoas podem adquirir fobias de diversas formas e elas podem tornar-se um empecilho em suas vidas. Superar uma fobia muitas vezes é uma luta difícil, longa, e importantíssima pra sua vida. 

Deixando de lado a parte clínica da coisa, algumas fobias realmente são no mínimo diferentes. Se o termo fobia por si só trata-se de um medo irracional a alguma coisa, o que podemos dizer de uma fobia que todos acham esquisita? Não sei. Mas vou mencionar algumas a seguir, assim você pode tirar suas próprias conclusões.


Lá vem o pato, para ver o que é que há.

Imagine agora, na sua frente, um pato. Um pato bem grande, um patão. Ele te encara. Aliás, ele não está olhando para você, ele está olhando você e só você. Ele nem pisca, não diz nada (nem sequer um "quack”), apenas fita-o inexpressivo. Você começa a andar e ele te segue, como se não quisesse perder o ângulo ou alguma coisa do tipo.
O nemêsis de um anatidaefobico
Se a cena acima não pareceu aterrorizante pra você, então você não sofre dessa fobia. Anatidaefobia é o medo de ser observado por patos...

Cabuuuuuuuuum!

Outras fobias no entanto são estranhas justamente pela sua banalidade. São coisas que, sei lá, não costumam fazer alguém parar e constatar: “Acho que tenho medo disso!”. Apesar de se encaixar na descrição, não existem estudos sobre coisas como “medo do seu time contratar o Richarlysson”, mas existem, por exemplo, a balistofobia (medo de ser atingido por um míssil), nucleomitufobia (medo de bombas nucleares) ou cleptofobia (medo de ser assaltado) ou ainda, taupofobia (medo de ser enterrado vivo). Você tem? No caso da bomba atômica, eu conheço um cara que NÃO TEM.

Espelho, espelho meu...

Mas sejamos sinceros: O espelho mágico é meio macabro mesmo
Eu não sou nenhum galã. Mesmo assim, todos os dias pela manhã, sou obrigado a ver meu rostinho no espelho, enquanto tento pentear meu cabelo (geralmente sem muito sucesso). Nunca estive muito feliz com o reflexo, mas isso não foi o suficiente para que eu desenvolvesse eisoptrofobia (medo de espelhos).
Eu também sempre fui um sujeito que pagou muitos micos. As vezes por ser desatento, as vezes por outro motivo, nem que o mesmo seja o puro e simples azar. Talvez eu seja um grande cara de pau, pois nem mesmo anos e anos de situações constrangedoras me deixaram com catagelofobia, que é o medo do ridículo.

Agora, já que você está lendo esse blog, eu posso apostar que você não tem catagelofobia (pois aqui tem algumas coisas realmente ridículas se procurar direitinho), e digo mais: Também não tem epistemofobia. Afinal, por mais que você não aprenda coisas muito úteis pra sua vida em todas as postagens, sua curiosidade o trouxe aqui e duvido que você tenha medo do conhecimento. Provavelmente você também não tem filosofobia (medo de filosofia) e nem fronemofobia (medo de pensar). Mas pode ser que você tenha estupofobia: Medo de pessoas estúpidas.

O bandido ou as meninas?

Muitos de vocês podem declarar-se pessoas puras. Se esse for o caso, pode ter eritrofobia e nunca descobrir, afinal, qual o problema de ter medo de luzes vermelhas se você não frequenta esse tipo de lugares, e o bandido está preso?

Falando em garotas, talvez você não frequente esses recintos justamente por ter ginofobia, medo de mulheres. Se você está desconfiando que esse pode ser o motivo do seu noivo estar te enrolando pra casar, relaxe, é mais provável que ele tenha gamofobia, medo de se casar. Outra resposta válida é a possibilidade dele ter penterofobia, medo de sogra.
Seu problema mesmo é se ele tiver nudofobia: Medo de nudez.

It comes from hell!

Você moraria numa casa de número 666? Eu particularmente não. Não que eu seja sequer minimamente supersticioso, mas sei lá, essas coisas dão azar. Ronaldo Reagan e sua esposa deviam concordar comigo, pois pediram pra mudar o número de sua casa nova, de 666 para 668, em uma ocasião.

Algumas pessoas no entanto levam esse papo de número da besta muito a sério, e desenvolvem hexacosioihexecontahexafobia que é o medo do número 666. Ela também detém o título de palavra mais difícil que escrevi esse ano e eu sinto mais medo de uma palavra assim do que de qualquer número.

Também não tem nome fácil a triscaidecafobia, que é o medo do número 13.
Com números, a dificuldade do nome parece ser inversamente proporcional a dificuldade entender a fobia. Que tal a octofobia, medo do número 8? Ele não parece terrível? Pelo menos ela não vai te deixar com Sesquipedalofobia, que é o medo de palavras muito grandes.

Sansão

É difícil entender como a infinidade de planos furados do Cebolinha não fizeram o coitado do Cascão desenvolver Ideofobia (medo de idéias) ao longo das historinhas.
Cascão no entanto tem outra fobia: Ablutofobia. Obviamente estou falando do medo de tomar banho.
Ainda na galerinha do Mauricio de Sousa, o Cebolinha parece sofrer de coelhofobia (a mesma do Julius, de “Todo Mundo Odeia o Chris”) – Ufa! Uma fobia de nome fácil.

 Aliás, um caso curioso aconteceu recentemente, quando um aluno desenhou um coelho na lousa pra assustar a professora coelhofobica – e foi processado. Esse menino talvez tenha adquirido quadrofobia, que é o medo de se aproximar do quadro negro.

Falando em roedores fofos, se o Tico e o Teco te parecem demoníacos, você pode estar sofrendo de quilofobia, medo de esquilos. Ainda em coisas meigas, se você é diferente da Dona Florina e um buquê de flores te deixaria de cabelo em pé, você tem antofobia.

Finalfobia

Eu não tenho, mas respeito quem tenha metrofobia (medo de poesias, e não medo do David Beckham), pois algumas delas realmente são bastante tensas.

E por fim, da série “extremamente criativo em sua simplicidade”, surge a pantofobia. A genialidade por trás dessa fobia é que uma pessoa pantofóbica tem medo de ter fobias ou de pessoas que tenham algum tipo de fobia. Aliás, um pantofóbico tem medo de tudo e duvido que um pantofóbico teria peito de ler esse texto até aqui. É a fobia que tem o Coragem, o Cão Covarde.
Deixei essa por último, pois ela engloba tudo e assim posso garantir que não esqueci nenhuma. Talvez eu sofra de aminésofobia: Medo de perder a memória.


2 comentários:

  1. Fobia fobia fobia!!! AAAAAH, acho que eu tenho Mascarenhofobia.

    ResponderExcluir
  2. ideofobia lembrei do kennan e kell uahhuauhaha

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails