segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

O Drift do Entregador de Tofu

  Existem inúmeros motivos para que as estradas que atravessam serras, colinas e outros relevos do tipo sejam repletas de curvas, tanto de logística quanto de engenharia. Um dos motivos vem do fato de que essas curvas evitam que os motoristas tenham como pisar fundo na descida, evitando corridas ilegais e coisas do tipo.

Ironicamente, no Japão, país de relevo muito acidentado, repleto de estradas como essas (que por lá são chamadas de “Touge”, que significa “Passagem”), os jovens viram nesse tipo de estradas verdadeiros circuitos, repletos de curvas desafiadoras, e iniciou-se uma cultura de rachas nas montanhas, onde, aliás, provavelmente surgiu o Drift, estilo de pilotagem popularizado no ocidente pelo terceiro filme da série “Velozes e Furiosos”.

Mas esse filme apenas usou a famosa tática do “nada se cria, tudo se copia”, e pegou muitos dos elementos que compõem uma das animações (que também é filme, game e uma infinidade da coisas...) mais famosas do Japão, fez suas alterações para americanizá-la, sem conseguir chegar aos pés da qualidade da sua fonte inspiradora. Estou falando de Initial D!
 Continuando a série sobre desenhos que não tem crianças como público alvo, conheça agora um desenho do tipo que não da a mínima pro politicamente correto e foca em jovens apostando corridas ilegais...


O Fantasma da descida

Os Redsuns eram uma equipe de corredores de rua considerados imbatíveis em sua região, o monte Akagi. Por isso, traçaram planos mais ambiciosos, e começaram a desafiar outros pilotos em suas próprias estradas. Um dia durante essas excursões, Kyosuke, o irmão mais novo do líder da equipe, ficou até mais tarde treinando. Quando ele estava indo para casa, foi ultrapassado com facilidade por um piloto desconhecido, que não era nem da sua equipe, e muito menos da equipe local.

Para piorar, ele dirigia um Toyota Sprinter Trueno GT-APEX, um carro muito antigo e pouco potente, especialmente se comparado ao possante Mazda RX-7-FD de Kyosuke.
Esse estranho piloto logo ficou conhecido como “O Fantasma do Akina”.

Assim começa a história de Initial D. Tudo gira em torno de Takumi, o filho do dono de uma loja de Tofu (uma espécie de queijo de soja) que faz entregas para o seu pai todos os dias, usando o Trueno do velho. Ele nunca se interessou por corridas ou coisas do tipo, apenas atravessava o caminho (um ponto de rachas) o mais rápido possível, para poder voltar para casa logo e voltar a dormir.

Para evitar que ele estragasse o Tofu, seu pai colocava um copo d'água no carro: Se Takumi dirigisse sem derrubar a água não derrubaria o Tofu. Takumi acabara de completar 18 anos, e vinha fazendo essas entregas desde os 13 (sim, o pai dele é maluco e irresponsável, além de ter sido piloto de rachas quando jovem), sob chuva, neve ou tempo bom. Por isso, desenvolveu uma habilidade monstruosa, se tornando invencível naquela estrada.

Depois de vencer o famoso piloto, mesmo que sem querer (ele estava apenas fazendo as entregas), sua fama começou a se espalhar, e muita gente passou a desafiá-lo. E ele, com o tempo, começou a pegar gosto por corridas...

Na medida para fãs de automobilismo

Desenhos com enfoque em carros geralmente nos remetem a Speed Racer ou até mesmo Corrida Maluca, ou seja, carros fantasiosos, em pistas fantasiosas, fazendo coisas impossíveis.. . Mas Initial D não é assim. Embora ainda haja sim, algumas cenas um pouco exageradas (entretanto, não impossíveis), a série mostra um grande cuidado para respeitar o máximo possível o realismo durante as cenas. Para isso o próprio Keiichi Tsuchiya, piloto profissional considerado no Japão como “O Rei do Drift” foi contratado para dar dicas e sugestões para os produtores...

Com isso, enquanto o personagem principal usa e abusa do Drift com seu carro de tração traseira, outros pilotos dirigem de forma mais convencional com carros de tração dianteira. Carros 4 x 4 também se comportam diferente, é possível notar as diferenças no estilo de pilotagem e no próprio comportamento dos carros, se a corrida for feita sentido subida, ou descida e assim por diante...

Esses detalhes técnicos levam os fanáticos por carros ao delírio, mas tudo é passado de forma a que mesmo aqueles que não sabem absolutamente nada sobre carros possam se divertir assistindo, sem ficar perdido com o que os personagens estão falando...

O mesmo acontece com as pistas: Todas as corridas acontecem em localidades reais do Japão, a maioria, famosos pontos de racha também na vida real. Algumas estão com o próprio nome representado no desenho, como o Monte Akagi ou o Monte Usui. Outros tem nomes fictícios, mas são também baseados em locais existentes, como o Monte Akina, que na verdade é o Monte Haruna... E como não podia deixar de ser, os carros também são representações de modelos reais, como, além dos já citados Trueno e RX7-FD, o Nissan Skyline R34, Honda Civic, Mistubishi Lancer Evolution e o Subaru Impreza, entre muitos outros...

Personalidades não muito surpreendentes

Os personagens da série tem uma grande variedade de características, embora muitas delas, meros clichês. Enquanto o personagem principal é um cara caladão e tímido, além de um tanto inocente, há aquele amigo que pensa que é a última bolacha do pacote, um rival arrogante, entre outros. A Série também apresenta alguns personagens incomuns, entretanto. Que tal uma garota “de vida fácil”? E se ela for a grande paixão do protagonista? Pois é...

As histórias e motivações pessoais de todos, no entanto, tendem a cair no clichê. Embora haja exceções, são no geral jovens que correm para esquecer seus problemas, em busca de fama e afirmação pessoal ou mesmo para se livrar do estresse do dia a dia. Não que isso seja muito diferente na vida real, ou seja, nem é muito culpa da série...

O peso do tempo

A primeira temporada da animação foi lançada na metade da década de 90, a qualidade das cenas de computação gráfica já está visivelmente datada. Para piorar, o traço do autor não é dos melhores com relações a faces, o que causa um visual um tanto feio para a série. Com o avanço das temporadas isso melhora, sendo a quarta (e por enquanto, última) temporada realmente muito bonita em todos os sentidos.
A trilha sonora por outro lado mantém a qualidade alta e atual em todas as temporadas. O estilo predominante é o Eurobeat, um estilo de música eletrônica que surgiu, obviamente, na Europa. As músicas são boas e empolgam durante as corridas (essas músicas foram substituídas por hip hop, na versão dos EUA). Como não poderia deixar de ser, os efeitos sonoros são feitos na medida para os entusiastas do automobilismo, reproduzindo com fidelidade os sons característicos de todas as máquinas...

E onde assistir?

As duas primeiras temporadas foram trazidas ao Brasil, com algumas adaptações e cortes, e transmitidas pelo canal fechado Animax durante um tempo. Porém, hoje em dia já não estão mais na grade da emissora.

De tão popular, a série ganhou um filme
Com isso, resta-nos a boa e velha opção de baixar gratuitamente a versão legendada nos sites especializados em animações japonesas, como o Animescenter. 

Existe também um filme, com atores de verdade, que foi lançado no Brasil com o nome de "Racha: Velocidade sem Limites" (clique aqui para ver o trailler), que é basicamente um resumo das duas primeiras temporadas com algumas adaptações... 

Fica a dica para todos que gostam de carros, corridas, ação ou mesmo de histórias diferentes. Initial D é uma ótima pedida.  

Um comentário:

  1. Em novembro ta chegando a quinta temporada...
    uhuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails