quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Coisas de Namorado e Namorada


Ao pensar em desenho japonês (anime), o que vem a sua mente, em primeiro lugar? Caras de cabelo estiloso, usando roupas potencialmente gays, lutando por um motivo completamente sem lógica contra um vilão excêntrico, usando seus super poderes? Ótimo, você faz parte da porção mentalmente saudável da humanidade. Brincadeiras a parte, realmente, a grande maioria dos que são exibidos no Brasil tem essa temática. Mas será que se resumem a isso?

 Não. Eles vem em todos os estilos, para todas as faixas etárias, tratando de todos os assuntos de todas as formas possíveis. E naturalmente, muitos tem uma temática mais adulta.

 Para ajudar a quebrar o preconceito, cá estou eu para te apresentar um anime que foge do tradicional. Pode até parecer ser voltado para menininhas. Possivelmente é voltado para menininhas. Mas, seja você uma menininha ou não, é muito difícil assistir ou ler essa série sem identificar-se, rir, comover-se e até chorar. Por que essa é uma daquelas histórias simples, mas que são contadas de tal forma, que se tornam perfeitas. 

 Uma verdadeira obra prima da narrativa, que poderia muito bem ser uma novela ou série de TV: Coisas de Namorado & Namorada. Ou simplesmente: Kare Kano.


A Busca pela perfeição

 “Que raio de desenho é esse que nunca ouvi falar, e por que eu devo continuar lendo esse texto?”, você se perguntou agora. Bem, vamos então especificar um pouco sobre o que trata Kareshi Kanojo no Jijyo (o nome completo, que significa literalmente “Coisas de namorado & namorada”, nome que normalmente é abreviado como Kare Kano):

 Yukino é uma menina normal. Ou quase. Ela é obcecada pela perfeição. Sim, tudo que ela quer é ser perfeita. Desde sempre ela tentou (e conseguiu) ser a primeira em tudo: A mais bonita da sala, a mais inteligente, a melhor nos esportes, a mais elegante, a mais simpática, enfim. Foi as custas de muito esforço e um grande talento para interpretar que ela conseguiu manter o seu papel de aluna modelo, durante toda a sua vida... Até chegar ao colegial.

 Lá ela conhece Arima, um rapaz que é exatamente tudo que ela quer ser com um adicional: Ele é rico. E pior: Diferente dela, que sabe que na verdade é mesquinha, exibida e egocêntrica, e não é metade do que faz aparentar ser, Arima não interpreta. Ele é daquele jeito apenas por ser.

 Não é preciso dizer o quanto ela fica com inveja. E, em meio a tentativas de mostrar “quem é que manda”, algumas gafes, e muita comédia, ela é surpreendida pelo próprio Arima que a pede em namoro... e ela recusa. Mas se arrepende, e acaba descobrindo o pior: Ela está apaixonada por ele! E agora? Ela vai engolir o orgulho e pedir para namorar com ele? Ou vai continuar na sua competição particular para ver quem é o melhor? Só vendo para saber. 

  Essa pequena e aparentemente simples historia serve de pano de fundo para toda a série. O romance de Arima e Yukino é apenas a ponta do iceberg: Kare Kano fala sobre máscaras, amizade, romance e todos os anseios comuns no cotidiano dos adolescentes. O que vale mais a pena: Ser você mesmo e ser só mais um, ou estar no topo fingindo que é outra pessoa?

Essa não é a única questão levantada pelo anime, alias. São dezenas de dramas e situações comuns aos jovens, que vão desde o menino que tem problemas em conviver com os pais e vai morar sozinho muito jovem, até a filha única que tem ciúmes do pai solteiro quando este encontra uma nova namorada, e outra porção de outras situações. É muito difícil acompanhar a série e não se lembrar de seus tempos de escola, de algum amigo seu ou de alguma situação semelhante ao que vocês está vendo. Chega a ser nostálgico as vezes. 

Os coadjuvantes protagonistas

 Em animes que não envolvem violência, um alto numero de personagens secundários tende a ser um problema, já que se torna dificil trabalha-los bem e não deixar que estes se tornem dispensáveis, enquanto que mesmo os personagens mais sem nexo dos animes de pancadaria podem preencher o papel de “mais um pro quebra pau”.

 Kare Kano no entanto aproveita seus personagens com maestria: Todos são bem utilizados, e todos tem suas historias bem exploradas ao longo da série. Mesmo aqueles que de cara parecem não ser “grande coisa”, acabam cativando no momento em que a historia lhe da o devido foco.

 Outra coisa bem difícil, que a série consegue fazer, é a alternância de emoções. Você pode ir das gargalhadas as lagrimas sem que perceba. Kare Kano alterna momentos de descontração com cenas mais sérias e até comoventes, sem deixar que uma ou outra situação torne-se cansativa ou apelativa.

Na TV e nos quadrinhos

  Até certo ponto da história, não existem muitas diferenças entre estar assistindo a série na TV ou lendo o mangá: As cenas são as mesmas, com as mesmas falas e até os mesmos angulos. Entretanto, a série enfrentou alguns problemas durante a sua adaptação para a TV, e isso se reflete nos ultimos episódios da animação: Aumentam os flashbacks e cenas com imagens paradas ao longo dos episódios até o anime ser encerrado.

  O problema real disso, porém, é que o final da série de TV acontece antes da metade da história em quadrinhos. E isso é muito antes dos melhores momentos da série.

  A partir daí, a história (nos quadrinhos) ganha seriedade, com temas mais adultos, ganhando uma temática com mais drama e menos comédia. É aqui onde os personagens mostram suas verdadeiras faces, são exploradas as suas principais nuances e são revelados alguns segredos. A história realmente pega fogo, e infelizmente não tivemos uma versão animada dessa parte da trama.

 Infelizmente porque, durante a maior parte da série de TV (antes dos problemas, que dizem, foi gerado por cortes no orçamento da produção), o trabalho da equipe que produziu a animação foi soberbo. A série tem uma movimentação dos personagens, dos elementos do cenário e um acabamento de qualidade inquestionável. Algumas fotos em preto e branco alternam-se entre algumas cenas para dar o clima perfeito. As cenas ficam mais lentas em momentos mais dramáticos, e mais agitadas nas cenas de humor. Palavras passam em um fundo branco atrás do personagem enquanto ele pensa, para simular a maneira aleatória como elas surgem na nossa cabeça.

  A trilha sonora segue pelo mesmo caminho que Yukino queria seguir: A perfeição. A música de abertura é boa, e o encerramento é uma remixagem de um clássico do pop japonês. Ambas cumprem seu papel de forma competente. Mas as músicas que servem de pano de fundo para as cenas é que se destacam: Melodias orquestradas que passam o sentimento da cena de forma perfeita, sem chamarem a atenção para si, mas dando um clima único para as situações. Um trabalho irretocável nesse ponto.

Onde eu posso assistir isso?


  Karekano foi lançado no Brasil em forma de mangá pela editora Panini. São 21 mangás de ótima qualidade, totalmente fiéis ao original. Já a série de TV nunca foi traduzida para o português oficialmente, mas pode ser baixada de graça em sites como o Animeshade e o Animescenter. A série é altamente recomendada para você que gosta de comédia, romance, de entender melhor os seres humanos como um todo ou simplesmente já não aguenta mais meninos orfãos descobrindo que estão destinados a salvar o mundo.

  Em tempo: Essa postagem, junto com a postagem sobre Welcome to the NHK , fazem parte de uma série de 5 postagens sobre animes que fogem do comum. Não deixem de conferir também nossa postagem sobre um certo carro fantasma que tira rachas...

2 comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails